quarta-feira, 18 de outubro de 2017

ASSALTO NA MADRUGADA: QUEM É QUEM


AGITADORES: De costas, de pólo encarnado, trabalha no palácio: chama-se Mussá Turé e foi dos primeiros a chegar à sede e posicionou-se na porta; de frente, com capuz, é filho do Deputado Dembo Djite. FOTO: DR/DC/AAS

ASSALTO À SEDE DO PAIGC: CATANAS NA NOITE



Mochila com um facão...
FOTOS: DR/DC/AAS

COMENTÁRIO: Justino Cabral Lima -Responsabilidade total da comunidade internacional no que vir a acontecer na Guiné-Bissau. Só se preocupa com a Guiné com derramamento de sangue e já dão mostras claras de que mais uma guerra civil esta à vista.

ASSALTO À SEDE DO PAIGC: Esta madrugada, um grupo de pessoas invadiu a sede do PAIGC, e foram corridas à catanada. Muitas pessoas ficaram feridas em virtude dos golpes. "Isto foi uma tragédia. Deixaram-nos entrar e depois encurralaram-nos lá dentro. Era gente a voar pelas escadas, uma coisa que só visto! Houve feridos dos dois lados", contou uma testemunha ao DC. Este país ainda vai entrar numa guerra civil!!! AAS



Eis alguns dos invasores:

FOTOS: DR/DC/AAS

terça-feira, 17 de outubro de 2017

OPINIÃO: PAIGC, O MOMENTO DA VERDADE

As músicas dos Super Mama Djombo, entusiasmam e convidam-nos a um nacionalismo puro, mas também assusta. Nunca, como agora, os militantes e simpatizantes devem cerrar fileiras, de mãos dadas e à volta da direção superiormente dirigido pelo Engenheiro Domingos Simão Pereira. Por isso, estão todos convidados a ouvir a música “CHEFI DI GUERRA”. Vamos todos ouvir esta obra de arte dos Super Mama Djombo porque o momento nos exige.

OUVIR MÚSICA

Leitor Não Identificado

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

ESCURIDÃO E IGNORÂNCIA

A Empresa de Eletricidade de Águas da Guiné-Bissau (EAGB) está a enfrentar problemas e desde a passada sexta-feira que grande parte dos bairros de Bissau estão sem energia elétrica, reconheceu hoje o diretor técnico da empresa, Alberto da Silva.

Segundo aquele responsável, neste momento a EAGB está confrontada com "três grandes problemas", nomeadamente a baixa na produção de energia, avaria no sistema de venda de créditos de eletricidade e ainda uma outra avaria na linha de transporte de energia para vários bairros de Bissau.

Desde sexta-feira que os bairros de Pilum, Amedalai, Pefine, Santa Luzia, Rossio, Calequir, Antula e parte de Plubá se encontram às escuras devido a uma avaria na linha de transporte subterrânea da energia. Alberto da Silva pede desculpa aos consumidores daqueles bairros, mas prometeu que a situação poderá ser resolvida ainda hoje.

Quanto à avaria no sistema de venda de crédito de eletricidade, a empresa mandou vir da África do Sul uma equipa técnica que está em Bissau desde domingo, podendo resolver o problema também hoje, disse.

O diretor técnico da EAGB reconheceu uma baixa na produção de eletricidade em Bissau, nos últimos meses, mas adiantou que a situação se deve "a uma série de avarias" nos geradores da empresa contratada pelo Governo guineense.

Dos 16 megawatts de energia de que precisa a cidade de Bissau, a empresa fornecedora apenas tem capacidade, atualmente, para disponibilizar cerca de 13 megawatts, indicou Alberto da Silva.

Alguns grupos geradores da empresa que produz eletricidade para a EAGB estão parados para manutenção, devendo voltar a funcionar "brevemente", sublinhou Alberto da Silva. LUSA

Pedida intervenção internacional para resolver crise

Um grupo de partidos da Guiné-Bissau pediu, através de uma carta endereçada à ONU, a intervenção da comunidade internacional na aplicação dos acordos de Bissau e Conacri.

Um grupo de partidos políticos da Guiné-Bissau pediu ao secretário-geral da ONU a intervenção da comunidade internacional para a aplicação dos acordos de Conacri e Bissau, considerando-os como a “única solução pacífica para a crise vigente no país”.

"Porque foi decidido pelo Conselho de Segurança da ONU a aplicação de sanções aos atores políticos guineenses que obstaculizem a implementação do acordo de Conacri, que o Presidente (guineense), José Mário Vaz, depois de todos os prazos, prorrogações e apelos ao seu cumprimento, já declarou publicamente que não pretende cumprir, solicitamos respeitosamente a adoção de medidas conducentes à concretização efetiva das últimas deliberações do Conselho de Segurança da ONU”, refere a carta enviada a António Guterres e a que a Lusa teve esta segunda-feira acesso.

Na carta, os partidos salientam estar convencidos de que só a “determinação e a firmeza da comunidade internacional em exigir a pronta implementação dos Acordos de Bissau e de Conacri constituem a única solução pacífica para a crise vigente na Guiné-Bissau”.

A carta foi enviada pelo denominado Espaço de Concertação Política dos Partidos Democráticos da Guiné-Bissau, que inclui o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), o Partido da Convergência Democrática (PCD), a União para a Mudança, o Partido da Unidade Nacional, o Movimento Patriótico e o Partido de Solidariedade e Trabalho.

O atual Governo da Guiné-Bissau não tem o apoio do partido que ganhou as eleições legislativas de 2014, o PAIGC, e o impasse político tem levado vários países e instituições internacionais a apelarem a um consenso para a aplicação do Acordo de Conacri.

O Acordo de Conacri, patrocinado pela Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), prevê a formação de um governo consensual integrado por todos os partidos representados no parlamento e a nomeação de um primeiro-ministro de consenso e da confiança do chefe de Estado, entre outros pontos. LUSA

EAGB - 9 LINHAS, 6 ERROS: I ka ku luz, i ka ku purtuguis...Guineense foronta ó, kadera!!!


Pelo menos ficamos a saber que foi tudo PROVOCADO por eles...cocó, ó
FOTO: M. Sila

domingo, 15 de outubro de 2017

AFINAL HAVIA OUTRO

Ontem, DC publicou a foto do avião que aterrou em Bissau, mas há mais. Na fotografia ontem publicada NÃO era possível visualizar a matrícula da aeronave por estar tapada pela asa.

Uma investigação mais profunda deu frutos e cá está o Iliushin, sem véu...: É PROPRIEDADE da República do Congo, onde reina o ditador Sassou Nguesso: trouxe 4 carros - 3 Mercedes topo de gama e um Toyota 4x4, tudo para o '_______ _______', cujo sonho agora, é a cadeira do JOMAV. Mas existe um compromisso tácito: vamos os dois, quem ganhar dá a mão ao outro...:

Avião (matrícula TN):


A que país pertence a matrícula TN?:

JOMAV entre a espada e a parede

Comunidade Internacional pressiona o presidente José Mário Vaz: não querem que JOMAV adie a data das eleições legislativas (abril 2018). É que a CI descobriu "manobras dilatórias. O presidente quer que as legislativas decorram na mesma altura que as presidenciais — em abril 2019" e não querem sequer ouvir tal coisa.

A propósito, o CS ONU enviou uma missão a Bissau para as primeiras avaliações junto da CNE e da GETAPE, e pediram mesmo um orçamento para as eleições.

Entretanto, o calcanhar de aquiles, o grande dilema, é a CNE não ter presidente, uma vez que a ANP está bloqueada pelo PR há mais de dois anos.

Ontem mesmo, Nuno Nabian, presidente da APU ameaçou: "Este 'governo' não tem legitimidade para organizar as eleições. Só com a devolução do poder ao PAIGC no quadro do acordo de Conacri é que podemos falar em eleições transparentes". Nabian virou depois as baterias contra o 'governo', dizendo que estão a "delapidar os recursos pesqueiros, naturais, etc, etc". AAS

sábado, 14 de outubro de 2017

OPINIÃO: INEP ou INEPTO?


Diretor-geral exonerado (Leopoldo Amado, um dos mais brilhantes quadros nacionais).

Privilegiamos as cumplicidades, para poder preferir a mediocridade.

Foram anos e anos… De gente imensamente mal preparada, muitos dos quais continuam a dar as mais altas cartas numa sociedade desestruturada, onde «falar mal» a todos os níveis, inclusive a língua oficial, se tornou ronco.

Um cenário onde a intelectualidade, a tecnicidade, a competência, o saber fazer e o empenho, deram lugar ao agiota, à má língua, aos comerciantes de pé rapado e aos maldosos e imorais.

Tristes, ficamos a ver desperdiçar as cabeças da Nação, em pleno séc. XXI, e as de várias gerações de pessoas, que em qualquer parte do mundo, jamais seriam exoneradas, antes mimadas para prosseguir a odisseia em terreno agreste.

Muito menos o seriam da forma como são corridos: normalmente ausentes do país, para ser o já as chaves do gabinete e o já no cerco a quaisquer outros direitos inerentes às funções.

Lema medonho este que sacrifica a todos os de boa vontade: «Estás comigo: estás. Não estás comigo: adeus e com licença».

Tudo o que desponta para a melhoria da sociedade, do bem comum, vai «suma mon di sal na iagu». Porque não se quer. Não se sabe querer nada que seja bom e melhor, num contínuo nivelar por baixo.

Mais hediondo é o caso de alguém que se atreva, na sociedade assumida, a dizer a sua capacidade e competência, mostrar que sabe, queira fazer a diferença e se empenhe em resultados, leva logo com isto: «Djubi ês tambi!». Apesar de terem ido buscar essa pessoa, para disfarçarem a sua própria incompetência, beneficiar das suas valências e chupar até ao tutano. A seguir diz-se: «Estamos a trabalhar para o desenvolvimento». Ridículo! Talvez para manter o facto de estarmos entre os piores dos países do mundo.

Assim foram passados os mais de 40 anos e assim é hoje. Entretanto, os lutadores do poder, detido ou na órbita, espalhados na praça, sem carteira profissional na sua maioria, entendem-se na arte secular de «Lutu cata mata. Lambu sô bu bati.»

Aqui estamos, entregues a esta avalanche duradoura de não merecimento, de falta de regras e de critérios, de promoção da revanche contra a meritocracia, contra quem pode, contra quem sabe, contra quem deve fazer. Como se fosse novidade! É ingrato remar contra tanto prejuízo de evolução social.


Carmelita Pires

ÚLTIMA HORA: Os restos mortais de Maurício Caby, que faleceu vítima de doença, no passado dia 25 de Setembro de 2017, no Rio de Janeiro, Brasil, chegam hoje a Bissau no voo da Royal Air Maroc. Quanto ao outro cidadão guineense que morreu na China, a sua transladação está para breve. AAS

NOVIDADES, NOVIDADES

- Discoteca Tabanca (na moda segundo fonte da PJ, pela venda e uso de drogas pesadas como MD (Mário Dias, crack) e Tiu N'tony (cocaína) e o pub Balafon foram ontem visitados por:

'Nando' Vaz, '—————— —————', Vitor Mandinga, e Botche Candé....

— Ontem, um avião cargueiro Iliushin (com a bandeira do Congo estampada na cauda) aterrou em Bissau para descarregar duas (2?!) viaturas (e o que levou mesmo?!). Infelizmente não se vê a matrícula que está tapada pela ponta da asa). Cá está o avião:



— Cândido Barbosa, ex—Cônsul Geral da GB em Cabo Verde, foi nomeado director—geral de assuntos jurídicos e consulares do MNE. Uma coisa é certa: a venda de passaportes acabou!

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Presidente da ANP em São Petersburgo, Rússia

Opinião: Botchê Candé, o 'Fenómeno'

Dizem os nostálgicos das casas reais de Baldecundas, Embalocundas e Seidicundas (Fulas), que os avós e os pais estão desiludidos no Céu com os filhos e os netos que estão cá na terra. Porque, coisa impensável (nas suas épocas), ter um Fula que não pertence a nenhuma casa real ter ascendido a um lugar de destaque a ponto de os próprios filhos de casas reais prestarem vassalagem ao Botchê Candé.

O Fenómeno Botchê Candé merece um estudo. Não há explicação ou uma ideia exacta sobre esta personagem. Tenho a certeza absoluta que os próprios sociólogos teriam muitas dificuldades em explicar este fenómeno.

Sem dados concretos (histórico), baseando simplesmente nos factos e a presença de Botchê Candé nas nossas vidas, apartir de fim da guerra de 1998. Com incursões em diversos partidos e alianças, o Homem Lutador e Analfabeto (críticos), foi cimentando a sua presença na vida política guiniense.

A várias teorias e cito algumas: I tá pega Tessu, trabajadur, pudi murro, fiel, intriguista e tá barri Pádua.

O Botchê Candé comeu na mesma mesa com o Nino Vieira, Koumba Yala, Malam Bacai, Cadogo Filho, Domingos Simão Pereira e agora JOMAV. Ninguém descartou e todos disputaram o Homem.

Dizem os próximos de DSP, quando apresentou a sua candidatura para o presidente do Paigc, as primeiras movimentações de posicionamentos de apoios das duas alas em disputa, DSP e Braima Camará no seio do partido, ninguém do núcleo duro de DSP imaginava sequer que o Botchê Candé alguma vez escolheria a ala DSP. É sabido a brutal pressão e ameaças sofridas por Botchê Candé (o carro foi incendiado, por apoiar o DSP e não um candidato muçulmano).

Quando o Botchê Candé apresentou oficialmente o seu apoio ao DSP para liderança do Paigc, dizem que os (cristãos machos), não ficaram nada contentes. O DSP, na sua calma e educação pediu aos hostes(núcleo duro), calma e reispeito para o Homem.

O DSP nessa reunião com o Botchê Candé, aceitou prontamente e agradeceu a preferência do Botchê Candé a sua lista. Não foi negociado qualquer contrapartida para o futuro. O Engenheiro deixou bem claro para o Botchê que aceitava o seu apoio e que esse apoio não significasse qualquer compromisso para futuro (cargos políticos).
Dizem os próximos de DSP que a resposta de Botchê Candé foi lapidar: Nó ba tarbaja som e restu e conbersa só.

Saídos do congresso de cacheu, Bissau, campanha eleitorais e vitória final, Presidência e governo, o Botchê Candé nesse percurso ao lado de DSP, conquistou o seu espaço e o núcleo duro ficou rendido ao charme e o poder de Homem.

O JOMAV, entre vários planos e estratégias dileniadas no seu Entourage na luta contra o DSP, o Botchê Candé figurava entre as primeiras opções. O presidente recusou o nome de Botchê Candé para o ministro de Interior. O DSP impõe e obrigou o JOMAV aceitar o nome do Homem. O resto é sabido. Da armadilha da fronteira nos primeiros meses da governação que culminou com a sua demissão.

A disputa por Botchê Candé continuou, a presidência e Braima incansavelmente lutaram para o terem como o aliado. Nesse percurso de uma luta longa e cansativa, o Botchê Candé que gosta de ser ministro, num acto desleal e pouco ético, simplesmente abandonou os camaradas de Paigc e abraçou o projeto JOMAV/Braima Camará.

O Fenómeno Botchê Candé, ultrapassa tudo o que é lógica do poder. Como pode um homem sem instrução e conhecimento estar no topo da hierarquia do estado acima de tudo e de todos? Quando o Botchê Candé chega é ver a vassalagem e todos a porem-se de pé, doutores, engenheiros, médicos e até antigos combatentes da liberdade da pátria a empurrarem uns aos outros para cumprimentar o homem.

Disse alguém muito sábio (político experiente), este é o país pela qual lutou e deu a seu juventude.

Murru ou poderes dos deuses, o Botchê Candé merece um estudo para melhor compreendermos este fenómeno.

Leitor NÃO identificado