terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Carta Aberta a Dom José Câmnate Na Bissign, Bispo de Bissau


Reverendíssimo,

Sua Benção!

Como Católico, Pai e cidadão deste país, venho respeitosamente chamar a sua atenção para algo que reputo importante, a cerca da Escola António José de Sousa (vulgo Escola Padre).

Três dos meus filhos estudaram e saíram dessa Escola e nunca houve incidentes; ameaças e exigências que tenho verificado agora que o meu quarto filho está a estudar na dita Escola de Padre.
Informo que, sou um Pai zeloso que cumpre todas as suas obrigações para com a sociedade; seus filhos, assim como para com a Escola deles.

Apesar da latente crise económica e social que se verifica no País, fui e sempre serei cumpridor dos meus deveres. Com isto quero dizer que algumas vezes temos atrasos nos salários, dificuldades em manter a alimentação em casa, dificuldades em pagar transportes para pôr os nossos filhos a tempo e horas na Escola, mas nunca deixei de cumprir com a obrigatoriedade do pagamento do quadrimestre exigido pela Escola.

Por isso, acho uma injustiça que o Sr. Director da Escola permita que nos seja enviada uma convocatória a ameaçar aos pais que se não comparecerem à reunião para a formação da Associação de Pais, os alunos não farão prova deste quadrimestre.

Em que base serei eu obrigado a pertencer a tal Associação? Nós não somos obrigados a fazer parte da Associação. Para quem paga à Escola dos filhos por quadrimestre, e com antecedência. Nada dá à Escola o Direito de proibir o aluno de entrar na sala de aulas e muito menos proíbi-lo de fazer provas.

Qual é a lei que dá direitos a Escola António José de Sousa a ter essa conduta para com os pais das crianças?

Reverendíssimo,

Ultimamente os pais têm sido muito maltratados pelo Director da Escola Escola António José de Sousa . Essa Escola que sempre primou pelos princípios Católicos que para mim é símbolo de humanidade; de Caridade; de tolerância; de convivio saudável...
Ninguém nega cumprir regras, sejam ela novas ou antigas, ninguém desafia as ordens dadas pela Escola, mas têm sido visto um desrespeito total tanto para com os nossos filhos, assim como, para nós os Pais.

Eu até acho que o Director esquece-se, por vezes que essa Escola não é gratuita, os pais pagam para ter seus filhos na Escola. É certo cumprir regras , mas não é correcto desrespeitar as pessoas, sobretudo quando pagamos por qualquer serviço que alguém nos presta.

Eu vou citar alguns incidentes verificados na Escola a qual considero total falta de consideração por nós Pais ; pelos nossos filhos e até pela conjuntura do país em que vivemos.

Este ano foi exigido calças de ganga azul escura para com a camisola da Escola servir de uniforme, (Concordamos. Tudo bem) mas o Director e alguns dos seus auxiliares esqueceram-se de que nós não mandamos no mercado do país e só podemos comprar o que o mercado vende, ou seja, o que há para comprar. ( as vezes as calças não são assim tão escuras, pura e simplesmente porque não existem no mercado, ou são escassas) , resultado? Expulsam as crianças das aulas;

Sugeria a Escola, (já que têm camisolas a venda na Escola), que pusessem a nossa disposição calças de ganga no tom que exigem;

O Director acha que por estar a dirigir uma Escola tem o direito a gritar com pessoas adultas como ele? Na hora da Saída ou entrada dos alunos (Ja aconteceu várias vezes). Vê-se claramente que os guineenses em posição de autoridade gostam de maltratar o próximo, só não esperava isso de alguém que recebeu uma formação espiritual para conviver com qualquer nível de pessoas e classe social.

Reverendíssimo, essa conduta não dignifica o nome de um católico que fará de um Frei;

Criou-se polémicas a volta de cortes de cabelo de algumas crianças ( não no meu caso) mas no entretanto são admitidos rapazes de rasta, cabelos longos e tranças, agora pergunto: onde está o sentido da igualdade de direitos humanos?

Onde todos os indivíduos têm direito ao reconhecimento, em todos os lugares, da sua personalidade jurídica, sendo ela criança ou adulta? (As regras na Escola António José de Sousa parece ser só para alguns, e para os outros?)

Reverendíssimo,

Não querendo ir longe demais, peço a sua intervenção nesse assunto.

O meu muito Obrigado e Deus o Abençoe Sempre!

ANP - declaração do presidente

REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU
Assembleia Nacional Popular
Gabinete do Presidente da ANP

Declarações à Imprensa do Presidente da ANP após a sua visita de trabalho à Guiné-Conakry.

Boa noite e muito obrigado senhoras e senhores jornalistas pela vossa presença.

Como sabem desloquei-me, com uma importante delegação da ANP, composta por mim, Califa Seidi, Líder da Bancada Parlamentar do PAIGC, meu Diretor de Gabinete e Conselheiro Político, com único objetivo de ajudar a esclarecer em definitivo a polêmica instalada a volta da existência ou não de um nome consensual, retido em Conacri, no âmbito do Acordo rubricado nessa cidade capital, para o cargo de Primeiro-ministro.

Esta deslocação tem subjacente, reafirmo, na minha qualidade de mais alto dignatário do país que assinou este acordo e por saber que a sua não implementação a contento de todas as partes poderá acarretar mais um bloqueio na ANP, instituição que dirijo, não visa desautorizar ninguém, tão só tentar salvar ainda este acordo que classifico de positivo para a saída definitiva da crise instalada há bastante tempo no país.

O encontro com o Presidente Alpha Condé foi bastante clarividente, que me permite afirmar que se tivermos paciência e vontade política, apesar de cenário atual, podemos encontrar uma solução que permita implementação, com a participação de todos, neste acordo. No entanto, há uma certeza que vos garanto. A CEDEAO ainda não se pronunciou oficialmente sobre o Relatório final do Mediador da crise. O Presidente Alpha Condé fá-lo-á oportunamente, durante a Cimeira dos Chefes de Estado da CEDEAO, a ter lugar em Abuja, no próximo dia 17 de dezembro. Tudo mais será pura especulação.

Por isso, vai a minha mensagem de serenidade e mais uma vez paciência aos guineenses, onde quer que se encontrem. Quero apelar aos políticos para abandonarmos as nossas pretensões pessoais e de grupos e implicarmo-nos no resgate e na implementação, de mãos dadas, deste acordo, para assim, permitir que caminhemos juntos na estabilidade, paz e tranquilidade, pois a Guiné-Bissau vale mais do que todos nós juntos.

Peço imensa desculpa por não poder avançar com mais detalhes relativos a esta nossa consulta feita ao Mediador da CEDEAO para a crise guineense, na medida em que no fórum próprio os resultados das negociações de Conakry serão apresentadas aos Chefes de Estado da CEDEAO, e só depois poderão ser tornados públicos. O que quer dizer que só depois do dia 17 de dezembro, a Cimeira dos Chefes de Estado e de Governo da CEDEAO, a realizar-se em Abuja, tornar-se-á pública a posição expressa pelo mediador no nosso encontro.

CRISE POLÍTICA/NOTÍCIA DC: Incidente grave na ANP

Um incidente grave marcou, esta manhã, a visita formal do primeiro-ministro de 'iniciativa presidencial' à Assembleia Nacional Popular. Fontes da ANP confirmaram tudo ao DC. Umaro Sissoko foi ter com o presidente da ANP, Cipriano Cassama, e disse-lhe que ia formar Governo (que tomaria posse na próxima sexta-feira).

Cassama tentou demover o PM, dizendo-lhe que esperasse pelo dia 17, altura em que o mediador e presidente da Guiné-Conacry, Alpha Conde, mandatado pela CEDEAO, revelará o nome escolhido pelo PAIGC, partido vencedor das eleições legislativas de 2014 com maioria absoluta, juntos dos seus pares da sub-região.

Cissoko recusou a proposta, e estalou então a confusão, obrigando à intervenção dos guarda-costas de um e do outro lado. "Cipriano Cassama expulsou despoticamente o Sissoco do seu gabinete". Assim que abandonou as instalações da ANP, o 'primeiro-ministro' foi directo para o palácio da República. AAS

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

CRISE POLÍTICA: Conacry descodificado

É bom reforçar que se o nome escolhido em Conakry fosse o de Umaru Sissoko, o Presidente Alpha Konde teria dito a Cipriano Cassamá que o Presidente José Mário Vaz agiu em conformidade com o consenso alcançado em Conakry. Mas não disse. Remeteu o anúncio do nome para a Cimeira da CEDEAO de Abuja no dia 17 de Dezembro.

Alpha Konde, apurou o DC junto de uma fonte da comitiva, terá confirmado em off a Cipriano Cassama o nome escolhido, mas porque foi mandatado pela CEDEAO, é à CEDEAO que deve reportar em primeiro lugar.

É o que ele vai fazer no dia 17, quer JOMAV vá ou não a Abuja (terá mesmo a coragem de ir?). Tudo o resto são jogadas sujas a que já nos habituou o Presidente, perdido com a cumplicidade do Aladje Fadiá e do seu comparsa Blaise Duplo. AAS

CRISE POLÍTICA

O presidente da ANP, Cipriano Cassama, regressou hoje a Bissau e disse que, no próximo dia 17, em Abuja/Nigéria, o presidente da Guiné-Conacry, revelará quem foi o escolhido para primeiro-ministro da Guiné-Bissau. AAS

GREVE GERAL NA FUNÇÃO PÚBLICA: A UNTG - União Nacional dos Trabalhadores da Guiné-Bissau, anunciou hoje a realização de uma greve geral na função pública guineense nos próximos dias 14 e 15 deste mês. Reivindicam a reintegração de vários funcionários expulsos em algumas empresas privadas. AAS

OUTRA MENTIRA: NÃO HÁ - e repito, NÃO HÁ - nada, nenhum dispositivo de escutas. Nem na MTN e nem na Orange. Ponto final. AAS

GUINÉ-BISSAU, segundo o FMI...:


- "Tendo em conta a situação orçamental restritiva e o apoio orçamental externo ainda limitado, a disciplina orçamental e as reformas estruturais aceleradas para criar um espaço orçamental para as despesas prioritárias continuam a ser as peças centrais do programa apoiado pela ECF”;

- “O reforço da gestão das finanças públicas através do reforço do papel desempenhado pelo Comité do Tesouro e da melhoria da administração fiscal é bem-vindo e necessário para recuperar a confiança dos investidores privados e dos parceiros de desenvolvimento”;

- “Para reduzir o custo elevado para o orçamento, também são bem-vindos os planos para tornar a companhia de água e electricidade (EAGB) financeiramente transparente, antes de reformas mais abrangentes a médio prazo”;

- "São necessários esforços acrescidos para reduzir a corrupção, incluindo através do reforço do quadro jurídico para lidar com o branqueamento de capitais e o financiamento do terrorismo. As melhorias na compilação de estatísticas são bem-vindas, mas devem ser sustentadas através de recursos adequados"

ATENÇÃO: VÍRUS


Não clique neste link: https://youtu.be/iLqUJZJKb-w - a suposta entrevista do Braima Camara à TGB. É tudo mentira (só a palavra YOUTU.BE mostra que é mentira). Quem clicar nesse link verá os seus dados ROUBADOS. Fica o aviso

CRISE POLÍTICA: O presidente da ANP, Cipriano Cassama, regressa hoje ao fim da tarde a Bissau. AAS