segunda-feira, 4 de julho de 2016

ENERGIA: Problemas à vista


A AGREKKO, empresa que fornece energia eléctrica à cidade de Bissau, findou o contrato. A nova empresa, que concorreu e ganhou, chama-se Solar Energy e tem sede na Flórida, EUA, mas não está com a vida fácil.

Para já, comprometeu-se a implantar 15 megawatts (contra os 10 actuais da AGREKKO) e, surpresa das surpresas, sem nenhuns encargos extras para o Estado guineense. Fornecerá energia, e no fim de cada mês cobrará ao Estado. Não pedirá nem combustível nem óleos - ao contrário da viciada AGREKKO.

O problema, agora, chama-se DJALO PETROSERVICE, uma empresa criada à pressa para mamar nas tetas deste Estado idiota ainda no tempo do ex e actual 'ministro' da Energia, Florentino Mendes Pereira. Simplesmente rebentaram com o tesouro público, pois eram quem fornecia gasóleo e óleo...

Uma fonte junto da EAGB disse ao DC que se o abastecimento de energia não for dado à empresa vencedora - a Solar Energy, "o Estado não aguentará o sufoco imposto pela AGREKKO ao ministério das Finanças, para além de uma grande multa que o Estado terá de pagar à empresa vencedora e agora manietada."

Para já, o dono da DJALO PETROSERVICE tem sido visto na residência do ministro Florentino. Mas o sindicato de base da EAGB não está a dormir. Fizeram chegar uma carta à tutela exigindo que o fornecimento de energia eléctrica seja entregue rapidamente à Solar Energy. E prometem uma guerra sem quartel. AAS