sábado, 16 de julho de 2016

Um exemplo? Os Guineenses não são turcos


O mundo assistiu ontem a uma tentativa de golpe de Estado na Turquia. Digo tentativa, porque o heróico povo turco, respondendo ao apelo do seu presidente, saiu para as ruas e fez a escumalha estremecer de medo. Quem viu as imagens (eu acompanhei tudo), não ficou indiferente.

O povo nas ruas tomou de assalto os tanques blindados, retiraram de lá os soldados e alguns até apanharam sentindo na pele a ira dos manifestantes pró-democracia. Um exemplo, o povo turco! Corre-lhes nas veias o sangue da luta democrática.

Por cá, estamos a ser espezinhados por um pequeno ditador e aprendiz de feiticeiro, e o povo nada faz. Povo de merda - volto a dizer, e é o que tem sido. Somos traídos até pelo Supremo Tribunal de Justiça, que é quem devia, pelo menos, salvar este povo que não merece muito mais...

O povo derrubou tiranos na Tunísia, no Iraque, no Egipto; por cá o povo de merda prefere arrastar-se na poeira engolindo o pó dos dias; chafurda na lama, morre por falta de cuidados médicos, não tem educação de qualidade (é só ler nas redes sociais a quantidade de merda que escreve).

Fica-nos bem a ditadura que nos foi imposta. E, assim, o país volta a ser bloqueado, as ajudas não chegarão e, não, não será o Togo a salvar-nos. O tanas! A democracia que nunca aprendemos a dar valor, virou-se contra nós. E é bem feita. AAS