quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Da ANP para o palácio


O presidente da ANP, Cipriano Cassama, disse hoje que a sua instituição "não será pisada por nenhum outro órgão de soberania". Cipriano Cassamá fez estas afirmações durante o encontro realizado com um grupo de líderes muçulmanos de diferentes regiões do País.

“Estamos disponíveis, como irmãos, para trabalharmos pela paz e estabilidade, mas há uma coisa feia: querem imputar-nos as responsabilidades pela crise e nós não vamos aceitá-las, vamos trabalhar para um Estado de direito e democrata, temos um regime semi-presidencialista com quatros órgãos e a assembleia não será pisada por nenhum outro órgão de soberania”, salientou.

Por outro lado, afirmou, estão a exercer a sua competência de maneira cabal. "Até então estou a cumprir a lei, há guineenses que não conseguem três ou mesmo duas refeições diárias e temos que lutar para garantir a estabilidade e a paz, mas todos nós temos que garantir estabilidade, de acordo com a Constituição da República”, disse.

Apesar de todos estes desentendimentos entre os dois maiores partidos políticos - PAIGC e PRS - o presidente da ANP Cipriano Cassamá, disse estar convicto que brevemente haverá um entendimento entre as duas partes. AAS