segunda-feira, 1 de agosto de 2016

ENERGIA: Norte-americanos da SO ENERGY prometem 'sufocar' o país


Os norte-americanos da SO ENERGY, empresa que ganhou o concurso para fornecimento de electricidade à cidade de Bissau prometem guerra sem quartel ao 'governo' guineense, caso não lhes seja entregue o que ganharam por direito, soube o DC junto de uma fonte da empresa.

"Ganhámos um concurso internacional, portanto temos o direito a reivindicar os nossos direitos, pois acreditamos que a Guiné-Bissau é ainda um país de direito, que cumpre os seus compromissos. Não abriremos mão daquilo que conseguimos legalmente, sem pagar subornos...", disse um responsável da empresa ao Ditadura e Consenso, adiantando "não entender o que está a emperrar o negócio".

"Vamos intentar acções judiciais contra a empresa e os responsáveis governamentais, na Guiné-Bissau e nos EUA", disse a mesma fonte, que suspeita "haver má vontade" na resolução deste diferendo. "Nos EUA quem não cumpre é responsabilizado e nós vamos até ao fim neste processo", adiantou.

Recorde-se que a empresa AGREKKO, que detinha o contrato e que concorreu ao novo concurso - perdeu para a norte-americana SO ENERGY, que prometeu 15 megawatts contra os 10 da empresa que agora findou o contrato mas parece não querer sair.

O problema é que o actual ministro da Energia, Florentino Mendes Pereira, terá uma sociedade com a empresa Djalo Petroservice, que vendia gasóleo e óleos para a EAGB - negócio que se pretende continuar, mesmo com a carta do sindicato de base da EAGB enviado ao ministro pedindo que o resultado do concurso seja escrupulosamente cumprido. AAS