quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Banda Desenhada (a preto e branco): Baciro Dja não quer "ingerência" de quem dá ao Povo guineense de comer...


O Primeiro-Ministro da Guiné-Bissau, Baciro Dja, não quer ingerência da Comunidade Internacional nos problemas internos do País.

Baciro Djá manifestou-se desapontado com a Comunidade Internacional. Ontem, terça-feira, na inauguração da Escola de Línguas para Militares no Estado Maior, na presença do Corpo Diplomático, sem mencionar a entidade, embora se presuma que se trate da União Europeia, o Chefe do Governo disse que a Comunidade Internacional não pode se imiscuir nos assuntos internos da Guiné-Bissau.

O governante felicitou a forma como a comunidade tem acompanhado a estabilização do País, mas afirmou que “não vai permitir ingerências nos assuntos internos da Guiné-Bissau. Só compete aos guineenses resolverem os seus problemas, mas obviamente com apoio da Comunidade Internacional".

O Primeiro-Ministro adiantou ainda que não é competência da Comunidade Internacional indicar o que se deve fazer ou quem deve ser Primeiro-Ministro da Guiné-Bissau. " Não pode dizer que a Guiné-Bissau tem que fazer um Governo de Unidade Nacional e mencionar o nome do Primeiro-Ministro, não vamos permitir isso" - assegurou.

Ainda sobre a Política na Guiné-Bissau, o Governo promete apresentar uma queixa na Procuradoria-Geral da República contra o Presidente da Assembleia Nacional Popular pelo não agendamento do Programa do Governo.

O executivo completou esta terça-feira 60 dias de governação, prazo limite para submeter aos deputados o programa para discussão e votação. Mas tal não aconteceu porque ainda não há consensos para a Comissão Permanente da ANP decidir sobre o agendamento. Rádio Vaticano