quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Líder do PAIGC elogia JES


O Presidente José Eduardo dos Santos teve outro encontro de cortesia com o líder do PAIGC, Domingos Simões Pereira, com quem conversou sobre os laços entre os dois partidos e povos, as relações históricas e a actual situação política na Guiné Bissau.



"Partido irmão"

Domingos Simões Pereira partilhou com jornalistas, à saída do Palácio Presidencial, o que conversou com o Presidente José Eduardo dos Santos. “Nós olhamos para o MPLA não só como um partido irmão, mas para o seu líder, que é também Presidente da República, como uma referência naquilo que tem conseguido na promoção da unidade e da coesão”, disse.

O líder do PAIGC considerou confortantes as palavras do Presidente José Eduardo dos Santos que recomendou o “diálogo, o respeito pelas instituições e pelos órgãos de soberania, como o único caminho para se ultrapassarem as divergências e sanar a crise política”.

Ao analisar a crise política no seu país, onde prevalece o “braço de ferro” entre a direcção do PAICV e o Presidente da República, José Mário Vaz, Domingos Simões Pereira falou em “várias vicissitudes” que estão na base do actual cenário político, mas que acredita na “boa vontade e no comprometimento de todas as forças políticas na busca de uma solução negociada, da qual participem todos os actores políticos activos na Guiné Bissau”.

Domingos Simões Pereira revelou que está em curso, em Bissau, um processo de diálogo político, em que acredita num desfecho positivo para a estabilidade do país e para a prosperidade do povo guineense. O líder do PAIGC disse ser da responsabilidade sobretudo dos guineenses entenderem-se e solucionarem os seus problemas, mas que é “perfeitamente normal” qualquer ajuda ou gesto de boa vontade de entidades que possa ajudar a ultrapassar esse mau período da sua história.

Recuperar a confiança

“Há que reconhecer que o período de instabilidade que vivemos no país já vai longo demais, e é perfeitamente normal que em algumas situações seja necessário a facilitação de entidades irmãs, amigas que queiram partilhar a sua experiência, dar os seus conselhos, ajudar a recuperar a confiança que está de alguma forma perdida entre os actores políticos guineenses”, assinalou Domingos Simões Pereira.

O líder do PAIGC veio a Angola como convidado ao VII Congresso Ordinário do MPLA, que elegeu José Eduardo dos Santos para presidente do partido, e um novo Comité Central, que é o órgão deliberativo máximo no intervalo entre os Congressos.

Na sequência do Congresso, o partido no poder elegeu João Manuel Lourenço para vice-presidente, Paulo Kassoma, para secretário-geral, e uma nova Comissão de Auditoria e Disciplina. Jornal de Angola