sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Depois da Orange...a MTN e a Orange juntos!


Os funcionários das duas companhias de telecomunicações móveis da Guiné-Bissau, - Orange (subsidiária da France Telecom) e MTN (sul-africana, a quarta maior empresa africana) vão juntos para uma greve geral. Tudo por causa da sua situação salarial, que consideram de "péssima", uma autêntica "escravatura".

A notícia - apurou o DC - caiu que nem uma bomba e obrigou mesmo a uma reunião de urgência, no palácio, a pedido do próprio presidente da República José Mário Vaz. JOMAV pediu aos da MTN que suspendam a greve "por causa da grave crise económica que o País atravessa" e cujo responsável número um...é o próprio presidente! Complicado...

Mas o PR não conseguiu demover a delegação da MTN. Assim, vai haver uma greve geral de, pelo menos, sete (7) dias talvez até antes ou mesmo durante a semana da festa da independência e a Guiné-Bissau vai ficar isolada do mundo, o que só nos fará bem...

Toma lá uma multazinha

Depois da multa de perto de 1 milhão de dólares aplicada à Orange, está a chegar a factura da MTN, enviada pela ARN - Autoridade Reguladora Nacional.

Ditadura e Consenso sabe que a empresa sul-africana será multada, podendo até ser maior do que a aplicada à Orange. Tudo porque a MTN tinha uma multa para pagar e não a regularizou a tempo.

Entretanto, chegada outra multa, correram a pagar a primeira. Uma trapalhada, a que se somam os juros de mora, a multa pelo não pagamento da primeira multa, da segunda e assim sucessivamente. E assim vai o mundo criado pelo presidente JOMAV. AAS