quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Estudantes guineenses em Fortaleza gritam por socorro


Caro Aly Silva, permita-me recorrer do seu Blog para lançar mais um grito de socorro junto das autoridades sobre o caso passaporte dos estudantes de Fortaleza.

Há três meses a Ex-Secretária de Estado da Cooperação Internacional da GB Suzi Barbosa, esteve no Ceará para resolver a situação dos passaportes dos estudantes que fizeram cadastro no sistema do novo passaporte, muitos deles depositaram dinheiro na conta da embaixada, mas não receberam os passaportes e foi alegado uso indevido desses valores por parte da embaixada. Essa visita foi viabilizada por intermédio de uma carta enviada pela associação dos estudantes ao então governo, assim como das denúncias realizadas nas redes sociais e nos órgãos de comunicação social.

O então governo respondeu muito bem, enviou Secretária Suzi Barbosa para se inteirar dos acontecimentos e resolver a situação. Ela trouxe consigo alguns passaportes dos que tinham depositado na conta da embaixada e, aproveitou também para informar aos estudantes que tinham feito cadastro no sistema e não conseguiram pagar o dinheiro por dificuldades financeiras, que o governo de Carlos Correia decidiu assumir parte do valor e que a outra parte seja paga pelos estudantes.

Os estudantes aplaudiram a iniciativa do então governo e decidiram pagar sua parte na expectativa de que o governo vai pagar a outra parte. No entanto, ainda no solo brasileiro, antes do regresso da secretária, o governo guineense foi derrubado, sendo que o atual governo não quer adotar o compromisso assumido pelo anterior governo.

Acredito que a governação é uma continuidade e não vejo motivos pelos quais os acordos feitos não sejam cumpridos, sobretudo quando o assunto se trata da vida, segurança e regularidade dos estudantes, futuros dirigentes do país.

O cônsul Fernando Borja o “Fando” neste momento se encontra em Guiné-Bissau informou-nos de que tem feito tentativas de negociação junto ao governo para resolver a situação e tem recebido a promessa na resolução que, até agora, em nada foi resolvido.

Por favor, peço que publique este artigo, aproveitando da recente declaração do PR JOMAV em que pediu uma “atenção especial," do corpo diplomático em relação aos emigrantes guineenses, alegando que eles seriam a principal razão da existência das representações do país no exterior.

Pois bem aqui no Brasil os estudantes precisam realmente de uma atenção especial da embaixada assim como do próprio governo, talvez isso só será possível com a substituição total da atual missão diplomática, colocando diplomatas de careira para assumirem com real compromisso a embaixada.

Pedir ao JOMAV que use da sua magistratura junto do governo exigindo-o que resolva a situação, pois neste muitos estudantes estão na eminência de perderem os vistos por não estarem na posse dos seus passaportes para comparecerem a polícia federal a fim de renovar o visto.
Att. A M