quarta-feira, 26 de outubro de 2016

CRISE POLÍTICA: CEDEAO exasperada com o PR JOMAV

FONTE: Seja assinante, consulte o sítio para mais informações >> AfricaMonitor



- Governos de Estados da CEDAO denotam “grande exasperação” em relação ao impasse em que a situação na Guiné-Bissau caiu. Estão determinados a levar a própria organização (CEDEAO) a promover iniciativas tendentes a encontrar uma pronta solução para a crise.

- Os Estados mais inconformados com a situação na GBxo são o Senegal, Nigéria, República da Guiné e Costa do Marfim. Consideram que o arrastamento da crise constitui um mau exemplo para a região e que o vazio de poder em que o país se encontra (está à deriva, como dizem), atrai o crime organizado e o terrorismo, potencialmente contagiosos.

- Governantes de países da região descontentes com a situação na GBxo fazem recair sobre José Mário Vaz (Jomav) especias responsabilidades. Consideram que é a ele que cabe encontrar uma solução estável para a crise, até por a ter prov0ocado, quando demitiu DSP. A vontade que lhe é atribuída de só aceitar uma solução que seja do seu interesse, leva-o a recorrer constantemente a artifícios de manipulação e dilação.

- À margem da última cimeira da CEDEAO em Lomé alguns chefes de Estado quiseram ter uma reunião a sós com Jomav, mas o homem furtou-se in extremis alegando estar doente. Ficaram irritados.

- Exemplo mais recente dos expedientes de Jomav: mandou ao Presidente da Rep da Guiné uma lista de três indivíduos (Olivais, Cissoko e outro) que consideram, por igual, serem merecedores da sua confiança, aceitando indicar qualquer deles como novo PM. Os partidos guineenses que ali estavam reunidos para tentar encontrar uma solução para a crise, pronunciaram-se a favor de Augusto Olivais.

O entendimento foi logo a seguir rompido pelo PRS – um partido cuja linha em relação à crise exibe cumplicidades com os interesses de Jomav. Ambos estão apostados num enfraquecimento do PAIGC (de que faz parte o afastamento de DSP). Jomav quer garantir a sua reeleição e está ciente de que DSP jamais apoiará a sua candidatura.

- Supõe-se que foi Jomav que influenciou a reviravolta, mas logo remetendo responsabilidades para a falta de entendimento entre os partidos.
- O homem que Jomav quer como PM é o Sissoko. A fraca reputação do homem na própria região, onde é considerado um traficante de influências, não favorece o intento de Jomav.

- Uma intervenção mais incisiva da CEDEAO na GBxo tendo em vista acabar com o impasse actual teria um precedente: em 2012 foi a organização que IMPÔS ao Indjai o nome de Serifo Namadjo como Presidente interino.