quarta-feira, 26 de outubro de 2016

INVESTIGAÇÃO DC: PGR faz guerra suja à Polícia Judiciária


Hoje, e pela primeira vez desde que tomou posse como procurador-geral da República, António Sedja Man foi visitar a prisão do Bandim, onde, há pouco mais de suas semanas 24 presos deram à sola, deixando a polícia - e o bairro do Reno - com os cabelos em pé.

No entanto, a visita do PGR teve/tinha/tem outro propósito: humilhar a Polícia Judiciária e, por tabela, exonerar a sua directora-geral, Filomena Lopes. E, para o seu lugar, nomear ARMANDO NAMOTCHE do PRS (que, curiosamente o acompanhou durante a visita), o mesmo partido a que pertence o PGR.

Tudo ilegal, pois não compete ao PGR exonerar a directora-geral da Polícia Judiciária. Essa competência é do ministro da Justiça, de quem a PJ não tem queixas. Muito pelo contrário. "O ministro da Justiça tomou posse e logo na semana a seguir visitou todas as prisões do País - coisa nunca antes vista", diz um agente da PJ ao DC.


ARMANDO NAMOTCHE acompanhou o PGR Sedja Man na visita, hoje, à PJ - não há coincidências...

Um fonte do sindicato da PJ, refuta uma possível exoneração da actual directora-geral - "alguém competente e acima de qualquer suspeita, uma pessoa comunicativa e de fácil relacionamento", e prometem uma resposta "à altura do sindicato" e uma 'guerra' sem quartel. A paralisação não é de descartar.

Ditadura e Consenso, desmonta agora toda a estratégia do PGR.

Ponto um e único: as celas da prisão do Bandim (e de todas as outras celas na Guiné-Bissau) são da RESPONSABILIDADE da direcção-geral dos Serviços Prisionais - e não da Polícia Judiciária. É à DGSP que cabe providenciar a alimentação, a segurança e o programa das visitas dos presos. Não é a PJ...mas isso o PGR parece nem querer saber!!! E ainda assim é um procurador-geral da República.

Seja Man foi rápido. Visitou as instalações da PJ e dos serviços prisionais, espreitou as celas e quando se viu perante os microfones, vociferou: "Temos de apurar tudo o que aconteceu aqui até às últimas consequências." E disse-o com ódio!

Ainda durante a atribulada visita um jornalista fez uma perguntinha ao PGR: "Sr. Procurador, afinal quem manda nas prisões?". O PGR, de acordo com uma fonte que acompanhou a "rápida visita, não gostei nada, para além do homem ser arrogante" - disse ao DC que Sedja Man praguejou e engasgou-se. "Bom, hmmmm, pois, ok, mas mesmo assim vamos investigar tudo." Tretas.

Outra fonte disse ao DC que "o PGR estava tão desconfortável, que as pessoas que o acompanhavam puxavam-lhe pela camisa para o tirarem de lá. Estava afundar-se! Pareceu-nos que nem sequer sabia porque ali estava. E foi muito mal visto o guarda-costas do PGR que tinha duas pistolas à vista - uma na cintura e outra na perna, quando nós, na PJ somos 150 e temos 9 armas de fogo. Um absurdo!"


A imagem não engana: O guarda-costas do PGR anda com duas pistolas...

A FUGA DOS PRESOS

Foram 24, os presos que fugiram das celas da prisão do Bandim há pouco mais de duas semanas, indo enfiar-se no bairro do Reno. Um morreu ao pular o muro de quase 6 metros nas traseiras das instalações. Destes, 9 foram já recapturados e 15 continuam a monte. Neste momento, a direcção-geral dos Serviços Prisionais mantém cerca de 84 presos nas instalações, contra o que diz a lei. Antes da fuga eram 90. Un monton!!!

Nessas mesmas celas, estão oito perigosos assaltantes, cujo julgamento ditou há muito a sua sentença - deviam ter sido transferidos de imediato para Mansoa ou Bafatá, mas continuam no Bandim - será que a culpa é da Polícia Judiciária? Balelas!!!

Aliás, DC sabe que é a União Africana que agora decidiu chegar-se à frente: vão reabilitar todas as celas e dotá-las de condições mínimas para se manter um preso - a dignidade não acaba quando se é preso, mas pode estar perto de acabar com a maneira como se trata um prisioneiro...

A PJ, com todas as dificuldades (há agentes que não recebem há mais de um mês), tem-se mantido firme. Prende traficantes de drogas no aeroporto como nunca se viu no País. Perto de 30 quilos de cocaína foram apreendidas no aeroporto Osvaldo Vieira, em poucos meses.

Portanto, PGR Sedja Man, não é com a mudança a cada seis meses do director-geral que a PJ mudará o que quer que seja - pode ter até um efeito contrário. É dotando esta polícia de meios necessários para o seu trabalho, e, sobretudo, NUNCA mas nunca interferir - e menos ainda de forma mesquinha - nas suas atribuições! AAS