quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Parece que foi amanhã


No dia em que escrevi ao Sindicato dos Jornalistas Portugueses a perguntar sobre a minha carteira (como se eu não soubesse já a resposta), senti um arrepio na espinha - confesso - e tinha motivos para isso.

Ralharam—me na resposta, seca e agreste, tal como eu merecia:


"A sua carteira não é actualizada desde 2003" não bastou. Desfiaram depois um rosário de pré—requisitos sem as quais… chapeau! Foi, digamos assim, um K.O. à moda antiga. Mas não doeu.

Eu era, na altura e desde 1995, o feliz portador da carteira profissional de jornalistas portugueses número 5219 e não sabia. Felizmente, um órgão de comunicação social português ofereceu-me emprego como seu correspondente em Bissau. Ofereceram-se igualmente para pagar os montantes devidos à CCPJ pela renovação da minha carteira. Estou bastante agradecido. E tenho dado o meu melhor, modéstia à parte.

Depois, voltei a contactar a CCPJ, preenchi os formulários e enviei para Lisboa. Bastaram menos de duas semanas e hoje fui avisado, primeiro, que a carteira estava na caixa do correio e, depois, atestaram tudo com uma fotografia.

Dois detalhes: 1º - Quando tirei a carteira profissional, a mesma era válida por um ano; hoje chega aos dois - o que é bom para quem, como eu - sim, como eu - é um completo desastre no que toca a ter a documentação em dia.

Não tenho B.I há mais de 30 anos e isso é certamente uma vergonha; Passaporte, bom, para quem ainda faz umas viagens por ano é…um mal necessário. 2º - O meu número de carteira passou do 5219 para o 10443, o que me dá um ar de novinho e que tem a sua graça...
Muito obrigados. AAS