terça-feira, 18 de outubro de 2016

SANDJI FATI e ABDU MANÉ - DOIS ENERGÚMENOS NA ALTA RODA


Escrevi há um/dois meses que não sabia se tinha mais medo do ministro da Educação ou da educação do ministro. Hoje, posso dizer que o ministro da Educação, além de mal educado, não consegue meter medo a ninguém. E passo a explicar.


AMEAÇAS VELADAS À VIDA DO ANTÓNIO ALY SILVA feitas pelo ministro SANDJI FATI e o absurdo ABDU MANÉ

Ontem, dia 18, o ministro da Educação(?!), SANDJI FATI, bastante combalido com as denúncias do Ditadura e Consenso sobre as obras de remodelação nas suas residências em Bissau e Massamá (Lisboa), e vendas de bolsas de estudo doados pela China, foi ter comigo à rua de Moçambique.

Chegou, saiu do carro, e mal o vi levantei-me. Não me cumprimentou, pelo contrário - esquivou-se. Mas eu segui-o.

E explodiu. “Aly, porque é que estás a atacar-me desta maneira?”, disse.
Calmamente, respondi que não se tratava de um ataque à sua pessoa, mas sim a uma autoridade.

Não contente, e bastante nervoso, disse-me: “Vamos embora daqui, temos que falar pá! E é por causa do teu Pai." - se não fosse, imagino, talvez me tivesse matado ali mesmo...

Respondi que não ia a lado nenhum, pois estava com amigos (quatro ou cinco pessoas assistiram a essa triste cena do ministro incomodado - será atingido?)

Para acalmar as coisas, pedi-lhe o seu número e prometi que ligava hoje para falarmos - mas não telefonei.

HOJE, 19 de outubro.

Por volta das 21 horas, fui mais uma pessoa amiga beber um café ao hotel Ledger. Assim que entramos no hotel pelo bar e atravessamos para o hall de entrada, vejo o ministro SANDJI FATI.

Fez-me um sinal e eu deixei a minha companhia e fui ter com ele. “Fiquei à espera da tua chamada…”

Disse-lhe que não telefonei e expliquei-lhe o motivo. Começou logo a barafustar, a falar alto, a espernear e quando eu levantei a voz e comecei a mandar as minhas caralhadas, indignado, puto da vida…vejo uma sombra através do vidro que separa o bar do hall de entrada.

Era o reforço do ministro - ABDU MANÉ, o energúmeno - o tal PGR de pacotilha que meteu o agora PR JOMAV na cadeia por causa do desvio dos 12 milhões de dólares de Angola. Afinal, seguiram-me até ao hotel. Ma é otchan la também! Um escândalo!!! Perguntei ao ministro porque troyxe "esse bardamerda, se era para me meter medo".

Esse anormal, veio na minha direcção e quase, quase me agrediu, tentou mesmo meter-me aquele dedo porco na minha cara. Mandei-o para a puta que o pariu, chamei-lhe ainda mais nomes e disse-lhe: “Seu filho da puta, metes o agora PR na cadeia e hoje és o seu mais acérrimo defensor? Bandido de merda!, sacana!”.

Disse-lhe ainda que tiveram sorte, pois se eu tivesse a pistola à mão talvez fosse eu a ser preso, mas a Guiné-Bissau ficaria bem melhor sem os dois brutamontes. Depois, ameaçaram-me com TUDO.

O QUE QUER QUE ME ACONTEÇA, É DA VOSSA INTEIRA RESPONSABILIDADE!

Assistiram à cena o director do Hotel Ledger (que, depois, se mostrou bastante desconfortável com a atitude dessa dupla desastrada e pediu-me desculpas), o juiz guineense Emiliano (o que esteve bastantes anos em Timor, evitou-me e a eles dizendo que essa não era maneiras de se resolver os problemas).

O empresário Caramba Turé (CARTUR, bastante compreensível comigo, evitou-me o tempo todo e ficou comigo muito depois desse vergonhoso incidente e não entendeu a atitude…), e um diplomata timorense da Cooperação Timor Leste/Guiné-Bissau. Alguns empregados do hotel ficaram mesmo de queixo caído - para eles o ministro e o seu comparsa desceram a um nível tal que nem se compreende.

Posto isto, convido aqui o ministro SANDJI FATI a DEMITIR-SE e o advogado ABDU MANÉ a cometer SUICÍDIO. Não valem nada, e a partir de hoje serei o vosso pior pesadelo! METAM MEDO ÀS PESSOAS DENTRO DAS VOSSAS CASAS PORQUE NÃO ASSUSTAM O ALY SILVA. AAS