quinta-feira, 29 de setembro de 2016

CARLOS LOPES/A VEZ DE ÁFRICA: Da União Africana para Secretário-Geral da ONU?


"Carlos Lopes, inteligentemente, faz uma retirada antecipada e estratégica visto que, brevemente, as Nações Unidas terão um novo Secretário-Geral e certamente vão ocorrer mudanças na maioria dos Comissários, Secretários-Gerais Adjuntos e Representantes permanentes. Carlos Lopes aproveita a oportunidade surgida para a União Africana com a nobre e curricular tarefa da sua reforma, passando desta feita a residir na África do Sul, deixando Addis Abeba, na Etiópia.

Com esta nova função, abre-se-lhe a grande oportunidade: a chegada do momento de África apresentar o seu candidato para dirigir a ONU. Será um caminho aberto ao Sociólogo e Investigador de renome mundial para concorrer por mérito e com o apoio inequívoco da maioria dos países de expressão portuguesa e anglófona.

Guineense, Carlos Lopes foi Representante do PNUD no Zimbabwe, no Brasil e chefiava agora a UNECA. Mas com a residência já confirmada na África do Sul, será a oportunidade de angariar simpatia do país motor da economia da região da SADC, e de África, além da própria Etiópia, pais que alberga a Sede da UA.

Congratulations, caro e ilustre compatriota. Embaixador da Pátria de Cabral no mundo fora. Deus lhe abençoe e lhe proteja. Viva a Guiné-Bissau e que vivam os guineenses.

Justino Lima
"

PAIGC promove reconciliação com “grupo dos 15”


A Direção do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) convoca o “grupo dos 15”, entre os dias três e cinco do próximo mês, para um encontro de reconciliação interna.

Conforme o comunicado de imprensa desta formação política, o Secretariado Nacional do PAIGC promove este encontro no seguimento das instruções do seu Presidente, Domingos Simões Pereira, que pronunciou nesse sentido na celebração dos 60 anos do partido, no passado 19 de Setembro.
“Vimos assim, apelar a todos para o reagrupamento da família do PAIGC a volta deste vibrante apelo do Presidente do Partido feito na data fundação do nosso grande e glorioso partido, o PAIGC”, refere o documento do Secretariado Nacional dos “libertadores”.

Os 15 parlamentares eleitos pelas listas do PAIGC, foram expulsos, este ano do partido, por alegadamente terem desobedecido a “disciplina partidária”, ao optarem pela abstenção que contribuiu para a não aprovação do Programa do governo dirigido por Carlos Correia, no parlamento.

O apelo a reconciliação surge numa altura em que é aguardada a formação de um governo de consenso e inclusivo, ao abrigo de um acordo já firmado, por iniciativa da CEDEAO, pelas principais forcas políticas (PAIGC e PRS), o Presidente da República e o presidente da Assembleia Nacional Popular. ANG

OPINIÃO: Não Porque Sim


Cuba, Fidel Castro e o povo de Cuba merecem certamente a medalha Amilcar Cabral - a mais alta condecoração do Estado da Guiné-Bissau. Cubanos derramaram o seu sangue na luta armada de 11 anos pela conquista da nossa (in)dependência, e nunca levaram nada daqui ao contrários dos oportunistas chineses...

A única nódoa em todo este processo foi o timming escolhido pelo PR José Mário Vaz: com o País parado há mais de um ano, com uma crise que merecia maior engajamento do próprio PR, é triste ver José Mário Vaz armado em Zé das medalhas pavoneando-se pelo mundo a mentir e a deturpar tudo.

Por tudo isto, o JOMAV, o homem, o presidente que meteu o País nesta crise que mais parece um poço sem fundo, não tem sido digno e não merece continuar no cargo de presidente da República da Guiné-Bissau.

Um obrigado e todo o nosso profundo reconhecimento a Cuba.
AAS

ESCÂNDALO: Alegada fundação de apoio à Guiné-Bissau ligada a pessoas investigadas na Alemanha


FONTE: Deutsche Welle


A Westafrika não existe legalmente nem na Alemanha nem na Guiné-Bissau. Teme-se que os seus membros se queiram aproveitar das fragilidades da Guiné-Bissau, para daí tirarem benefícios ou para o branqueamento de capitais. Apesar de não existir legalmente, a Westafrika foi apresentada ao Governo e ao Presidente da Guiné-Bissau a 26 de agosto último, por um grupo de cidadãos alemães.

Fonte do sistema judiciário guineense, contactada pela DW, que pede o anonimato, teme que este grupo se queira aproveitar das fragilidades da Guiné-Bissau, para daí tirar benefícios ou pior, para o branqueamento de capitais.

Um dos cidadãos alemães, de nome Andreas Brandl, que esteve na apresentação da Westafrika na presidência da República em Bissau, é portador dum passaporte diplomático da Guiné-Bissau. Tem escritório na embaixada guineense em Berlim e está a pagar os custos do funcionamento da embaixada, segundo fontes da própria embaixada ouvidas pela DW África. Andreas Brandl também está a ser investigado pela justiça alemã, em vários casos de fraude contra centenas cidadãos alemães.

As investigações foram confirmadas à DW pela procuradoria da cidade alemã de Heilbronn. Brandl é acusado de ter burlado investidores na sua função de diretor da empresa de energia solar Neckermann Neue Energien AG. Oficialmente não tem funções na fundação Westafrika, mas esteve presente na sua apresentação em Bissau. E a própria fundação tem o endereço físico idêntico ao do escritório de Andreas Brandl e da Embaixada da Guiné-Bissau em Berlim: Kronenstrasse 72.

O alegado presidente oficial da fundação Westafrika, Olaf Baumgarten, é um empresário que atua na área da venda de lenhas e madeiras. Contactado pela DW África, admite que o processo de legalização da fundação, que se arrasta há dois anos, ainda não foi concluído. Baumgarten também esteve presente na delegação da fundação Westafrika que se apresentou em Bissau, no passado dia 26 de agosto, juntamente com um funcionário do escritório de representação da Embaixada da Alemanha de Dakar.

Diplomacia alemã apoia ou não a Westafrika?

Os alemães reuniram-se com o primeiro-ministro, Baciro Djá, assim como com o Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, prometendo apoiar o país com um contentor de medicamentos e equipamentos hospitalares e na reabilitação de uma escola na vila de Bula, num valor total de 350 mil euros – informação divulgada na rede social Facebook, pela empresa de comunicação que trabalha para a alegada fundação.

Contactado pela DW África, o ministério dos Negócios Estrangeiros alemão diz que a fundação Westafrika não conta com o apoio da Embaixada da Alemanha. O funcionário do escritório da embaixada de Dakar terá apenas estado "presente aquando a entrega de uma dádiva", em Bissau. No entanto, em conversa com a DW, o presidente da fundação Westafrika, Olaf Baumgarten, salientou o "valioso apoio" prestado pela embaixada alemã.

Justiça inoperante perante casos cabeludos

Para o magistrado do Ministério Público da Guiné-Bissau, casos como estes são complicados de investigar. Sobre o uso indevido de documentos de identificação da Guiné-Bissau, por parte de indivíduos que estão a ser investigados pela justiça em outros países, o magistrado Júlio Vieira Nsumbo entende que “as instituições do Estado [guineense] estão em conluio com esses supostos empresários”.

“São concedidos indevidamente documentos da Guiné-Bissau, prejudicando o bom nome do país. Dão-se passaportes diplomáticos a pessoas estrangeiras que não têm esse direito na lei guineense”, lamenta o magistrado guineense.

Além disso, mesmo que se iniciem investigações a este tipo de casos, dificilmente há resultados concretos, segundo Júlio Vieira Nsumbo. “Há poucas denúncias que são levadas aos tribunais e há poucos casos que chegam ao fim. Vendo as estatísticas, podemos ficar com a ideia que o fenómeno de branqueamento de capitais não existe na Guiné-Bissau, porque não há condições para proceder a investigações. Usam dinheiro sujo no circuito comercial ou de caridade para poderem retirar dividendos que aparentam ser lícitos”, afirma o magistrado.

No entender do magistrado Julião Nsumbo, o aparecimento em cena de falsos cooperantes tem prejudicado muito o Estado da Guiné-Bissau. “Há uma sensação de impunidade no sector da justiça, que se tem revelado incapaz de fazer face a esses fenómenos.”

Por um lado, “o investimento estrangeiro cria riqueza, cria emprego, mas não podemos ao desbarato entender que há efeitos benéficos nesses investimentos e pôr em causas interesses fundamentais do país”, avalia Julião Nsumbo, que defende que o Estado guineense deve tomar mais atenção no relacionamento com pessoas que na realidade não conhece. A DW África tentou, sem êxito, abordar o assunto com o Governo guineense, assim como com a presidência da República.

MUDANÇA: Carlos Lopes deixa a ONU e muda-se para a União Africana




CARLOS LOPES, Sociólogo e Investigador guineense, que é sub-secretário geral da ONU e secretário executivo da UNECA, anunciou em entrevista ao Le Monde Afique que decidiu abandonar as funções que actualmente desempenha para dar o seu contributo na reforma da União Africana e assumir um papel mais activo no que diz respeito ao futuro do continente africano.

A convite do presidente do Ruanda, Paul Kagame, Carlos Lopes vai integrar uma equipa restrita de peritos que irão trabalhar numa reforma profunda da organização maior do continente africano - a União Africana.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Até segunda ordem...


Completei todo o processo (questionário, fotografias, tudo por 6.500 fcfa) para receber o meu cartão de 'não' combatente da liberdade da Pátria. Que orgulho!

"Dia 19 venha cá levantar o cartão", disseram-me. E fui, mas nada. E voltei antes de ontem. Fiquei pela porta de arma. Quando anunciei ao que ia, fez um gesto para eu ir ter com ele. Diz-me o militar de serviço: "Está tudo cancelado. Foram as ordens que recebemos". Perante a minha incredulidade, só lhe ouvi dizer "tartaruga misti badja ma rabada ka tem"...AAS

Hoje vomito eu


O que eu e milhares de automobilistas sofremos ontem, na avenida dos combatentes, não dá para acreditar. Das duas, uma: ou rebocam o palácio para Biisalanca, ou o presidente da República faz uma vaquinha com o PRS, os 15 e um ou outro traficante e comprem a porra de um helicóptero!!! Passei mais de 5 horas preso no cruzamento do Ledger com o Bairro Militar, e assisti a porrada entre motoristas, acidentes de viação, choros assustados de crianças com aquela tromba de água que caiu sem dó nem piedade sobre as nossas cabeças.

O culpado não é tanto o presidente da República (várias fontes garantiram que o PR não gosta que se bloqueie as vias), mas o ministério da Administração Interna, o comissariado de polícia e a polícia de trânsito. Ninguém faz nada, e acabam por complicar tudo só naquela mania mesquinha, fastidiosa de querer bajular o JOMAV, como se este fosse um deus a quem devem adoração.

Mais de quatro quilómetros de bicha desorganizadamente organizada, deram cabo dos nervos de muita gente que àquela mesma hora de um dia normal, estava já jantada e preparada para mais outro dia de trabalho. Até o representante de uma organização sub-regional cancelou um jantar no centro da cidade. Não podia lá chegar. Por volta das 22 horas, as coisas lá voltaram ao normal.

É intolerável. O presidente e sua enorme comitiva (mais de 20 viaturas, entre camiões cheios de militares fortemente armados com 120 balas de AK47 cada (30 na arma e mais 3 carregadores de 30 balas presas ao peito), a ECOMIB e sua parafernália, a segurança do Estado pendurada nas viaturas, mete medo a qualquer um! Um europeu praguejou "Tudo isto para quê?") JOMAV saberá responder-lhe - disse para os meus botões.

Hoje, houve nova procissão. JOMAV viajou para Cuba...mas ninguém ousou fechar estrada nenhuma, não houve festa nem tambores... Mas, porra!, o PR tem batedores para quê? Custa irem duas motas a uma distância relativa a abrir caminho? O ministro Botcha Cande excita-se muito com as chegadas e as partidas. Ele lá saberá. AAS

Estudantes guineenses da Beira Aguieira dormiram na rua em protesto



Grupo de raparigas guineense dormiu na rua em protesto

Mais de uma dezena de estudantes da Guiné-Bissau que frequentam a Escola Profissional Beira Aguieira pernoitou, na última noite, no Largo Alberto Leitão, em protesto contra o que dizem ser a falta de condições de alojamento.

O grupo, com as respetivas malas e objetos pessoais, passou a noite junto à igreja matriz porque não quer voltar para Lorvão, para as instalações do antigo hospital psiquiátrico.

As raparigas, ao todo mais de uma dezena, argumentam que o espaço não tem as condições mínimas para ali ficarem. À Livraria Mondego afirmaram que dormem em camaratas sobrelotadas, muitas vezes não há água quente para os banhos, algumas portas e janelas estão danificadas e o espaço é, em geral, muito húmido.


As malas ficaram na rua, em pleno Terreiro

Chegaram a Portugal em fevereiro e, alegam que depois de terem sido alojadas em vários locais, acabaram por ficar em Lorvão, para onde não querem voltar. A noite passada ao frio, no Terreiro, bem no centro de Penacova, foi a forma encontrada para dar visibilidade ao problema.

Estas estudantes guineenses fazem parte de um grupo de quase cinco dezenas que está na Escola Profissional Beira Aguieira. Estão em Penacova há alguns meses e frequentam vários cursos profissionais (restauração, cozinha, pastelaria, gestão do ambiente, auxiliar de saúde, entre outros) ao abrigo de um quadro operacional de cooperação entre a Guiné-Bissau e Portugal. Durante a tarde, a Livraria Mondego tentou contactar o diretor-geral da EBA, João Fonseca, mas este não se mostrou disponível para prestar qualquer esclarecimento. Fonte: Livraria do Mondego

terça-feira, 27 de setembro de 2016

100 comentários


Lembram-se do famoso mas triste caso dos 100 Milhões?: Pois bem, desde que o novo DG do INSS (sobrinho do presidente do PRS, Alberto Nanbeia) tomou posse, nunca mais se levantou a questão dos 100 milhões movimentados pelo antigo DG.

E porquê? Simples. O sindicato dos trabalhadores simplesmente deixou de existir, ou seja, nomearam os cabeças do sindicato para cargos de direcção e assim acabou a oposicao no INSS.

Até parece que o sindicato de trabalhadores do INSS só adormece quando quando a situação lhes é favorável - como o actual contexto. Cabeça de lista, presidente sindical = Director Financeiro. Que tal? AAS

JOMAV, O CAIXEIRO VIAJANTE: PR está em Banjul e regressa ainda hoje a Bissau. Amanhã, segue para Cuba. AAS

JOMAV não mexe no governo pelo menos até à primeira quinzena de outubro


Ditadura e Consenso apurou que o PR José Mário Vaz só demitirá o governo de Baciro Dja depois da reunião ministerial Fórum de Macau. A comitiva guineense, estará representada pelo primeiro-ministro para além de 9(!?) ministros, sem contar com alguns assessores e empresários. Deverá ser uma das maiores comitivas dos PALOP.

A 5ª Conferência Ministerial do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Fórum de Macau), realizar-se-á entre os dias 11 e 12 de Outubro, na Nave Desportiva dos Jogos da Ásia Oriental de Macau.

Primeiro está o JOMAV, depois o JOMAV e depois ainda o José Mário Vaz. O Povo e a CEDEAO, que se lixem, pois os compromisso estão em primeiro, em segundo e em terceiro lugar! AAS

ARMAS PESADAS: Rei de Marrocos rearma exército guineense


Canhões com obuses de vários milímetros, mísseis (terra—ar, terra—terra e terra—mar). Enfim, nô pintcha. AAS
Fotos: Albano Barai

JOMAV viaja hoje para Cuba. Esperemos que fique por lá...AAS

PAIGC: Bancada parlamentar e as comemorações do 24 de setembro

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

NUBDADI...Governo de...saias!!!


Quando se viu na celebração da Independência? Um concurso de miss? Este governo só pensa em meninas...

OPINIÃO: FUNDO 'BURACÁRIO'...


No Fundo de Conservação Rodoviária! Esse é o nome oficial da instituição. Mas toda a gente se refere a ela apenas como Fundo Rodoviário! Ela própria se assume como Fundo Rodoviário.

Uma dor de cabeça para os proprietários de veículos automóveis. Brutal, nos dias em que a polícia de transito sai à rua a procura de relapsos no pagamento do fundo. Pagassem. Mas, o que pergunto é para onde foi que levaram a conservação? Tragam-na de volta já!

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

PARA A ONU: JORNALISTA ESPANCADO


Ismael Bari, jornalista da Rádio Galáxia de Pindjiquiti, foi espancado por quatro agentes da polícia no posto de controlo de Safim, tendo ficado gravemente ferido. Um policia interceptou a viatura pedindo identificação aos passageiros. O jornalista apresentou o seu cartão de serviço, e sem que nada o fizesse prever os dois envolveram-se numa acesa discussão.


A camisa do jornalista agredido foi exibido na cara do secretário de Estado da Ordem Pública: Sangue.

Que acabou no espancamento do jornalista, que apesar de estar fora de perigo, continua combalido, mercê das agressões. Tendo tomado conhecimento do caso, a Ordem dos Jornalistas da Guiné-Bissau reuniu-e com os 'ministros' do Interior e da Comunicação Social. O Bastonário da Ordem dos Jornalistas, disse tratar-se de mais um caso de agressão física e ameaças contra jornalistas no país. AAS

PARA A ONU: Quer dizer, o PR JOMAV vai à ONU mentir ao SG Ban Ki-Moon que não há perseguições, nem prisões nem espancamentos na Guiné-Bissau...Na calada, duas pessoas foram brutalmente espancadas pela Guarda Nacional, uma delas jornalista. Botche Candé pede em Gabu a demissão do DSP de presidente do PAIGC...quem se deve demitir é o Botche Candé, que NÃO FOI ELEITO para porra nenhuma, ao contrário do DSP que foi ELEITO NO CONGRESSO de Cacheu! Porra para isto. AAS


ESPANCADO PELA GUARDA NACIONAL


Não obstante as inúmeras denúncias contra as forças de segurança sobre direitos humanos, o modus operandi da corporação continua a ser caracterizado pelo uso excessivo e desproporcional da força contra cidadãos indefesos.



Desta vez foi o Sr. Júlio Féliz Silva Diouf de 42 anos de idade motorista de profissão, a ser vitima de brutalidades dos elementos afectos à Guarda Nacional. Tudo aconteceu no passado dia 9 de Setembro 2016, quando a vítima protagonizou um acidente ligeiro de viação em Ingoré zona norte do país.

Os efetivos da Brigada de trânsito da GN envolveram em discussões violentas com o motorista tendo culminado no seu espancamento brutal, que culminou com a fratura de uma das suas costelas, para alem de outros ferimentos graves. A vitima se encontra internada no hospital militar em Bissau sob vigilância médica.

O presidente da LGDH Augusto Mário da Silva chefiou uma delegação da organização que deslocou à aquele estabelecimento hospitalar para se inteirar do estado de saúde da vítima. LGDH condena com firmeza este acto ignóbil e exige a abertura de um inquérito tendente ao esclarecimento cabal do sucedido e consequente tradução dos responsáveis à justa. Uma corporação policial violenta é uma ameaça a paz e direitos humanos.

A direcção da LGDH

43 anos de independência: ANP e a juventude


No âmbito das comemorações do dia da independência terá lugar amanha as 10h uma jornada parlamentar sobre o lema "juventude na construção democrática" será presidido pelo presidente da ANP, Cipriano Cassama. AAS

FMI em Bissau até terça feira, já constatou vários desvios de procedimentos

Duas missões do Fundo Monetário Internacional na Guiné-Bissau. A instituição recomenda reformas estruturais ao país e equaciona a possibilidade de um resgate.

Roger Nord, director-adjunto do departamento África do FMI encontra-se em Bissau a chefiar uma missão de observação do organismo. No terreno já se encontrava uma outra missão que finaliza a avaliação ao programa de apoio financeiro ao país.

Da deslocação do responsável do Fundo Monetário Internacional deverá resultar um relatório que será apresentado em Novembro ao Conselho de Administração do FMI. Nessa altura, será decidido se o organismo vai continuar a desembolsar a ajuda financeira à Guiné-Bissau.

O programa anunciado em Maio de 2015 ascende a cerca de 22 milhões de euros a desembolsar em três anos.

A Guiné-Bissau registou progressos para a retoma do Programa de Facilidade de Credito Alargado com FMI, mas precisa de esforços adicionais.

Anunciou hoje, Roger Nord, o Director Adjunto do Departamento Africano do FMI que se juntou em Bissau com a missão técnica de avaliação do Fundo que termina segunda-feira.

Depois dos encontros com o Director Nacional do Banco Central dos Estados da Africa Ocidental-BCEAO, com Primeiro-Ministro e com o Ministro das Finanças, o Director Ajunto do Departamento Africano do Fundo Monetário Internacional, Roger Nord disse que o país deu passos importantes para a estabilização financeira.


Para além de ter anulado o resgate bancário no valor de 52 milhões de dólares americanos, a missão do FMI, entende que a Guiné-Bissau tem desafios fiscais adicionais para poder superar o défice orçamental e assegurar a estabilidade financeira.

O Ministro da Economia e Finanças, Henrique Horta dos Santos acredita que o país irá conseguir os apoios do FMI.


Esta reunião do Conselho da Administração do FMI para apreciação final do dossier Programa de Facilidade de Credito Alargado à Guiné-Bissau está prevista para Novembro proximo.

O mentiroso compulsivo

O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, renovou, quarta-feira, 21, “a solicitação do apoio das Nações Unidas ao processo de reconciliação nacional em curso” no seu país.

No seu discurso na 71ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque, Vaz indicou outras solicitações, incluindo a participação das forças armadas guineenses nas missões de manutenção de paz.

Outra preocupação que precisa de ajuda internacional “é a obtenção de fundos para a reintegração dos desmobilizado”.

Vaz usou a sua intervenção para explicar ao mundo que o seu país já não enfrenta uma “crise politico-militar”, mas sim “uma crise eminentemente politico-institucional”.

Consolidação da paz

Recentemente, disse Vaz, foi assinado pelo Presidente do parlamento, primeiro-ministro e dois partidos, que “permitirá o apaziguamento de tensões políticas que permitam a estabilidade governativa até o fim da legislatura”.

Ele prometeu trabalhar com todos para a “consolidação de um clima de paz”.

Além de assuntos internos, Vaz defendeu a necessidade de se implementar o acordo de mudanças climáticas, assinado em 2015, em Paris, e manifestou a solidariedade aos que sofrem de acções terroristas no mundo.

PROTESTO: Ditadura e Consenso estará off no próximo dia 24. Não me vou juntar aos ilegais para festejar coisa nenhuma. Deviam era ter vergonha!!! AAS


A não ser que...AAS

FACTO: Guineense ka ta kurri di carro ma i ta kurri di tchuba — bu ta pensa tchuba ku ta mata...guineense ó, kadera di dari! AAS

PAIGC-60 ANOS: Jorge Inocêncio Dombolo destaca trajectória do PAIGC


O secretário para a Organização e Mobilização do MPLA, Jorge Inocêncio Dombolo, destacou em Bissau, capital guineense, a trajectória de luta levada a cabo pelo PAIGC (Partido Africano Para a Independência da Guiné e Cabo Verde) para o alcance dos objectivos que estiveram na base da sua fundação, em Setembro de 1956.


Jorge Inocêncio Dombolo falava na abertura da Conferência Internacional dedicada às comemorações dos 60 anos da fundação do PAIGC, assinalados sob o lema “O legado de Amílcar Cabral face aos desafios da época contemporânea”.

O político angolano lembrou os vários momentos partilhados pelos dois partidos (MPLA e PAIGC) na luta pela independência dos povos de Angola e da Guiné-Bissau contra o colonialismo português, visando a sua emancipação e o desenvolvimento dos seus países.

O caminho percorrido pelo PAIGC ao longo dos 60 anos da sua existência, frisou, foi caracterizado por momentos “altos e baixos” que serviram para reforçar cada vez mais a união no seio daquele partido.

O VIII Congresso ordinário realizado em Fevereiro de 2014 conferiu uma nova vitalidade ao partido, permitindo que o povo da Guiné-Bissau renovasse a sua confiança no PAIGC e nos seus dirigentes durante as eleições que se seguiram, disse. “Esse facto redobra as responsabilidades que recaem sobre o PAIGC em continuar a trabalhar com afinco na busca de soluções para os novos problemas que o país vem enfrentando”, sublinhou Jorge Dombolo, que encabeça a delegação do MPLA, integrada pelo membro do Comité Central Mário Pinto de Andrade.

O político saudou a participação do PAIGC no VII Congresso Ordinário do MPLA, realizado em Agosto, em Luanda, que além de constituir um marco na sua vida interna, evidenciou-se também pela solidariedade e amizade manifestada pelos povos irmãos, em particular o da Guiné-Bissau.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Documentos confidenciais das “secretas” portuguesas aparecem em África, com passaporte guineense ao barulho


FONTE: O INFORMADOR

Dezenas de documentos confidenciais, entre eles relatórios do Serviço de Informações de Segurança (SIS), da GNR e da PSP, apareceram num país da África Ocidental e estariam nas mãos de um cidadão de leste. A fuga de informação e os documentos em mãos erradas poderão pôr em causa a segurança nacional e, consequentemente, a segurança internacional.

Ao que o Observador apurou, os documentos estariam na posse de um cidadão que aparentava ser de leste. E a descoberta aconteceu de forma acidental. O homem em causa recorreu a uma empresa em busca de um serviço. O funcionário da empresa terá então requisitado ao homem uma série de documentos, que lhe foram passados. E no meio deles, “apareceram” uma série de documentos aparentemente confidenciais. O homem que os tinha na sua posse – e que os terá entregue por engano – não mais voltou. Desconhece-se por completo a sua identidade.

O Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED), dirigido por José Casimiro Morgado, terá sido imediatamente contactado. Elementos do SIED ter-se-ão deslocado de Lisboa a África para apreender os documentos e tentar perceber se tinham sido, de alguma forma, replicados.

Todos os documentos dos serviços de informações são classificados por natureza e sujeitos ao regime do segredo de Estado. Se documentos destes aparecem nas mãos de terceiros, há uma quebra de segurança”, afirma ao Observador Rui Pereira, antigo diretor do SIS, que também já teve nas mãos a pasta da Administração Interna. Rui Pereira adverte, no entanto, que esta fuga não tem que ser imputada ao serviço de informações.

O Observador apurou que entre as dezenas de documentos haverá um relatório do SIS com a estratégia do grupo Hell’s Angels (um grupo de motociclistas que nasceu nos EUA e que as autoridades associam a um movimento de grande violência, com ligações criminosas) em Portugal. O documento, concluído em dezembro de 2011, descreve as relações dos Hell’s Angels com grupos motards em Portugal e traça as ligações de alguns dos seus elementos a alegados crimes de tráfico de droga, armas, extorsão e lenocínio, com fotografias de alguns dos seus elementos. Haverá ainda um relatório, feito seis meses depois, que atualiza essa informação e alegadamente dispõe de uma série de nomes e moradas de cada um dos elementos referenciados no grupo.

Da Direção de Informações da GNR haverá uma informação acerca de uma série de furtos a hotéis no Algarve, com referência e fotografias de cidadãos suspeitos. A informação terá sido pedida à PSP via Unidade de Coordenação Antiterrorismo (UCAT), que congrega elementos da própria GNR, das ‘secretas’, PJ, PSP, SEF e Polícia Marítima em 2009. Também com origem nas informações da GNR, há ainda um relatório sobre supostos assaltos a carrinhas de tabaco a nível nacional. Um crime que no ano de 2010 deixou as autoridades preocupadas.

Também com informação que se percebe ser reservada, haverá entre os documentos que apareceram em África um do Sistema de Informações do Exército que terá sido usado durante um exercício militar de Intelligence. Além das posições dos militares durante o exercício e do objetivo do mesmo, constará até informação pormenorizada como números de telefone e nomes dos militares responsáveis pela formação. Alguns documentos parecem ter sido digitalizados a partir dos documentos originais, outros parecem cópias digitais dos originais.

O que são as “secretas”?

Chama-se “secretas” ao Serviço de Informações da República Portuguesa (SIRP), no qual se integram o Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED) e o Serviço de Informações de Segurança (SIS). Ao SIRP cabe assegurar a produção de informações necessárias à salvaguarda da independência nacional e à garantia da segurança interna, respeitando sempre a Constituição. O SIED produz informações que contribuam para a salvaguarda da independência nacional, dos interesses nacionais e da segurança externa do Estado português.

Destas informações são feitos os estudos e documentos que forem determinados por ordens superiores. Algumas destas informações são comunicadas às autoridades responsáveis pela investigação criminal. O SIS produz informações que contribuem para a salvaguarda da segurança interna, a prevenção da sabotagem, do terrorismo, da espionagem e a prática de atos que possam alterar ou destruir o Estado de direito, como refere a lei 50/2014 que estabelece a orgânica destes três organismos.

Na mesma pasta de documentos haverá ainda manuais de segurança a instalações internacionais e um manual de Intelligence da NATO na sua versão inglesa, que também se encontram disponíveis em fontes abertas através da internet. E, ainda, um organograma sobre uma alegada rede de narcotráfico que opera a nível internacional com todas as suas ligações. Este esquema estará escrito em português.

Segundo Rui Pereira, estes documentos “não funcionam em circuito fechado”. “Estes documentos têm destinatários, têm de ser comunicados às autoridades competentes que investigam esses crimes. São informações ao serviço do Estado português”, explica o ex-governante e ex-diretor do SIS.

O Observador apurou que o documento alegadamente produzido pelo SIS, por exemplo, apesar de confidencial, foi distribuído aos chefes de gabinete do primeiro-ministro, do secretário-geral do Sistema de Informações da República Portuguesa e do Sistema de Segurança Interna e também ao chefe de gabinete do Ministério da Justiça de então. Foi ainda enviada uma cópia aos responsáveis pelo SIS, pela PJ, pela GNR e pela PSP, assim como ao chefe da Casa Civil do Presidente da República.

A quebra de segurança pode ter-se verificado num dos destinatários dos documentos, que poderão tê-los encaminhado para um destinatário que não era admissível. Pode, também, eventualmente, haver uma manobra de espionagem de outro país. Os serviços de informações de outros países podem ter obtido essa informação”, explica Rui Pereira. Desta forma, a fuga pode até ser atribuída a outro país. “Só um inquérito o poderá determinar”, resume o antigo diretor do SIS.

Rui Pereira lembra que saiu do SIS há 16 anos e que desconhece as práticas atuais. Mas reconhece que estes documentos não serão, à partida, enviados via e-mail normal de uma entidade para outra, e também não deverão ser colocados em pens. O ex-ministro deixa ainda bem claro que não concorda com chamar “Serviços Secretos” aos Serviços de Informações. “Nos países democráticos há Serviços de Informações, nas ditaduras há polícias políticas”, esclarece.

Quem era o estrangeiro que tinha documentos secretos portugueses?

O SIED ainda terá tentado localizar o cidadão de leste que teria na sua posse as informações confidenciais, mas o homem nunca mais foi visto naquele país africano. A ideia era perceber como lhe chegaram estes documentos. O Observador apurou que o homem em causa poderá estar relacionado com uma rede criminosa desmantelada uma semana antes destes acontecimentos.

Escândalo nas “secretas” acabou em tribunal e PASSAPORTE GUINEENSE FALSO

O aparecimento de documentos secretos num país africano e a detenção de um espião do SIS suspeito de vender informações confidenciais no estrangeiro não são os primeiros casos relacionados com as “secretas” portuguesas a serem motivo de notícia. Já em novembro será conhecida a sentença no processo que envolve o ex-diretor do SIED, Silva Carvalho, acusado de violação do segredo de Estado, corrupção ativa e passiva para ato ilícito e acesso ilegítimo a dados pessoais.

O caso das “secretas”, como ficou conhecido, aconteceu entre 2010 e 2011 e envolve quatro outros arguidos (dois funcionários do SIED, uma funcionária da Optimus e um responsável da Ongoing). O caso começou com uma notícia no jornal Público, que acabou com os registos telefónicos do jornalista que assinou a peça a serem passados a pente fino pelas “secretas”.

Na altura, o El Pais noticiou que um multimilionário e ex-militar polaco tinha sido detido em Ibiza, Espanha, por suspeita de tráfico de armas. O homem despertou a atenção das autoridades locais por ter um passaporte diplomático guineense que se revelou falso. Mais. Estava sempre rodeado por seguranças e possuía uma enorme frota automóvel.

Segundo a Polícia Nacional espanhola, as ligações internacionais do suspeito eram de tal forma em grande escala que este chegou a usar um avião presidencial da Gâmbia para ir até ao país em negócios, a partir da Polónia. Segundo a investigação, que se prolongou por quatro anos e culminou noutras nove detenções, o suspeito chegou a vender material de guerra para o Sudão do Sul.

O homem de leste que teria na sua posse várias informações confidenciais portuguesas teria ligações a este grupo criminoso. Resta saber quem lhe passou para as mãos dezenas de documentos confidenciais.

Governo não comenta

O Observador contactou três vezes o SIED para obter esclarecimentos sobre o caso e perceber se durante o último mês foi descoberta a fuga da informação confidencial, mas continua sem obter qualquer resposta.

Também do gabinete do primeiro-ministro, a quem o SIED responde hierarquicamente, não foi dada qualquer resposta. O Observador perguntou se António Costa tinha sido informado deste caso e se corria alguma investigação para apurar de onde partira a quebra de segurança. Mas não obteve qualquer resposta. A Procuradoria Geral da República também ainda não respondeu se corre algum inquérito no Ministério Público.

Espião foi apanhado a vender informações

Dois meses antes de estes documentos aparecerem num país da África Ocidental, um outro acontecimento tinha chegado aos jornais, envolvendo as secretas portuguesas. Um funcionário do SIS foi detido pela PJ, numa investigação coordenada pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal.

O espião Frederico Carvalhão Gil foi detido, a 21 de maio, na esplanada de um café no centro de Roma, em Itália, quando alegadamente passava informações a Sergey Nicolaevich Pozdnyakov, um agente russo da SVR, sucessora do KGB. O agente russo foi entretanto libertado, mas Carvalhão Gil continua preso em casa.

O agente do SIS andava a ser investigado desde novembro de 2015, depois de ter sido fotografado por serviços secretos num encontro com o espião russo, mas foi mantido em funções como analista de informação para não suspeitar da investigação. Carvalhão Gil encontra-se em prisão domiciliária. Quando foi presente a tribunal o seu advogado, José Preto, disse que os 10 mil euros que o seu constituinte recebeu foram de “natureza comercial.”

(futuro) Parque Nbatonha - Kau di Katchu, Kau di Pekadur



Futuro Parque Nbatonha (baixa de Bissau) - Kau di Katchu, Kau di Pekadur. Podem ver-se os edifícios do Hotel Ancar e das Nações Unidas. IMAGENS: Drone Phantom 3. DR/DC/AAS

terça-feira, 20 de setembro de 2016

ÓBITO: Bubacar Camara (Caro), presidente da associação dos magarefes, morreu em Meca, na Arábia Saudita, onde estava em peregrinação. Que a sua alma descanse em paz. AAS

TRAGÉDIA ANUNCIADA: Bissau sta mal tok djugudés gossi ta bai nam purto ku bolanhas pa kumé kakri...AAS

AVISO: Ditadura e Consenso estará off no próximo dia 24. Não me vou juntar aos ilegais para festejar coisa nenhuma. Deviam era ter vergonha!!! AAS


...A não ser que...

DC: MAIS TARDE OU MAIS CEDO...



FOTOS: DR/DC/AAS

Como DC avançou em exclusivo, uma única maleta desembarcou do avião saudita, como mostra a foto, captada nesse dia no aeroporto Osvaldo Vieira. MOHAMMED BIN ABDULLAH AL-AISH, que surge identificado na sua página do Facebook (curiosamente, a página foi desactivada...) é assessor do ministro da Defesa saudita. PAPA CAMARA, chefe do estado-maios da força aérea, na lista de sanções...também lá estava. O militar de boina azul - só pode ser das Nações Unidas ou da ECOMIB!!!

DC apurou que os sauditas querem comprar (trouxeram dinheiro para isso mesmo...) uma ilha no arquipélago dos Bijagós. O Povo guineense merece e tem direito a uma explicação. MARCIANO SOUSA BARBEIRO, chefe da Casa Civil do PR JOMAV, todo sorridente, em destaque: foi ele receber tão ilustre comitiva fantasma - agora já nem tanto...
AAS

ENERGIA vs ESTADO IDIOTA? É este onde vives!


ENERGIA: AQUI ESTÁ O CRIME QUE DÁ EM ROUBALHEIRA



Pontos 13.1 e 13.3 (o cliente EAGB...é que tem de comprar gasóleo, filtros e óleos...) coisa que a SoEnergy descartou - ficaria tudo por conta da empresa. É precisamente por causa do ponto 13.3 que o ministro e os seus ROUBAM dinheiro ao Estado idiota da Guiné-Bissau!

Quanto ao meio ambiente...é só irem à escola que fica mesmo pertinho da central para constatarem do crime ambiental patrocinado pelo 'governo' e perpetrado pelos senegaleses...

Um AVISO para os pais desses alunos - A AGREKKO está a matar lentamente os vossos filhos!!! O ministro mora longe, ocupou a granja e construiu lá uma mansão! AAS

PRS (Partido da Roubalheira e da Safadeza, que só ganhou uma eleição - 2001 - mas manda até hoje na Guiné-Bissau, patrocina golpes de Estado): Só querem mandar na confusão para roubar o erário público - instigaram os pobres dos 15 e depois descartaram alguns. Ficaram com os ministérios onde há dinheiro fresco e é só GATUNAGEM!!! AAS

Aos 'amigos' da comunicação do PRS (como se soubessem o que é comunicação...que é diferente de ladrar): Vão levar onde a galinha pões ovos!!! E não perdem por esperar, palhaços. Se ao menos dessem as caras ou os nomes...AAS

VERGONHA


Não há dinheiro para pagar os funcionários da ANP e Deputados até hoje, mas têm dinheiro para as pomposas celebrações do 24 de Setembro (como se houvesse motivo para tal...) que o 'Governo' vai fazer em conjunto a Presidência da República...

É um castigo para os Deputados do PAIGC por não terem aprovado a sessão para apresentar o programa dos ilegais. Os do PRS e os 15 receberam um subsídio para aguentarem sem o salário.

Os coitados dos funcionários da ANP, sem culpa de nada...foram castigados também. E as suas famílias? Não comem? Não têm contas para pagar?
AAS

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

E o Sissoko continua a ser o primeiro-ministro preferido do Presidente...



FOTO: DR/DC/AAS: E o Soare Sambu a ver navios... e a bandeira nacional está INVERTIDA!!!

PARA OS 'AMIGOS' BURROS DA COMUNICAÇÃO DO PRS, que não distinguem o preto do cor-de-rosa:


"Rescindir ou anunciar (à) AGREKKO que o contrato não seria renovado.?????"

Como? Então se houve um CONCURSO PÚBLICO INTERNACIONAL, em que a própria AGREKKO participou...e PERDEU!, o que havia mais para rescindir??? Ó santa Comba Dão, porque não esganaste estes antes de nos deixares!!!

P:S:: O outro vosso 'amigo' (o ministro que comprou o carro do ministro...Florentino!, e que a PGR devia investigar com que DINHEIRO, pois não o tinha para pagar o contentor de vinhos) está a engordar à velocidade de cruzeiro e até brilha!!! Cuidado ku AVC...abó gora nim ABC bu ka kunsi dritu...AAS

ENERGIA: O contrato TEMPORÁRIO que se tornou...vitalício!!!


DC está ja na posse do contrato TEMPORÁRIO entre o governo guineense e a AGREKKO, cujo contrato terminou em Outubro de 2015 — altura em que se escolheria um novo fornecedor com base num concurso público Internacional, que aconteceu e foi ganha pela norte—americana SoEnergy. Assinado por FLORENTINO MENDES PEREIRA, o mesmo que, curiosamente e de repente, deu-he para morrer de amores pela AGREKKO...o ministro não sabe o que significa TEMPORÁRIO!!!

Só uma pergunta: QUE EMPRESA FORNECE GASÓLEO E ÓLEO à EAGB para a central??? Acertaram? Um doce!!!

O próprio antigo e novo diretor da EAGB, Rene Barros, informou à SoEnergy que o contrato assinado não tinha validez por não ter garantia bancaria do governo - do próprio governo!!! - no dia 8 de Julho, 2016. René Barros ASSINOU o contrato lesivo para o Estado guineense com a AGREKKO...

Cá está:

Djanti son bu riba, nô na sukutau, i bu para rinka ki udjus... Nin koreano ka pudi djudau...



Antes que os profetas comecem a bocejar, esta imagem não vale nada. É protocolar que o SG ONU receber os chefes de Estado (ou de Governo) que vão a Nova Iorque para participar na Assembleia Geral das Nações Unidas - por isso mesmo é que temos uma representação diplomática nas Nações Unidas. Ponto.

Respeito, respeito - que é bonito - é precisamente aquilo que o PR guineense não tem da parte do seu Povo, o que é uma vergonha! AAS

ALERTA: Para as empresas estrangeiras (mesmo para aquelas que só aparecem em períodos de crise, autênticos oportunistas, aliando—se aos golpistas): Não invistam um só Franco CFA na Guiné-Bissau. Estão a deitar dinheiro numa enorme fogueira que tende a ser maior a cada dia que passa. É um aviso. Estão a dar pérolas a porcos! AAS

ENERGIA - CRONOLOGIA DE UM DESASTRE ANUNCIADO


1. Após 3 meses a suplicar ao novo governo para honrar o contrato que ganhamos, tivemos que tirar os equipamento do porto de Bissau. Custos estimados US$100,000 armazenagem (já pagos) e US$150,000 do frete.

2. Chegada do barco à Ilhas Canárias: Setembro 20, 2016. Nas Ilhas Canárias continuaremos na luta para o governo guineense respeitar o contrato.


Declaração Pública:

2.1. SoEnergy participou num concurso público internacional liderado por uma Comissão formada pelo governo da Guiné-Bissau segundo processo do Banco Mundial.

2.2. SoEnergy ganhou a licitação com preços e proposta técnica apresentada em 12 de Abril, 2016. Quatro (4) companhias apresentaram propostas, entre elas a AGREKKO que está gerando energia segundo contrato assinado pelo Ministro Florentino Pereira desde Outubro 2014 e que devia ter expirado em Outubro 2015 mas que vem sendo prorrogado sem licitação pública várias vezes. O último adiamento era para Junho 30, 2016 (anexo, é o contrato mais leonino que já vi na minha vida, que injustiça com a população da Guiné-Bissau, não tem penalidades, tem pagamentos antecipados de quase um milhão de Euros, preços sem combustível que a SoEnergy poderia estar abaixo em mais de 7%, usina de lado de uma escola de mais de 400 meninos sendo envenenados desde Outubro de 2014, toda responsabilidade ambiental no governo, etc....etc......).

2.3. SoEnergy foi chamada a negociar em 12 de Maio, 2016. Todos os participantes, incluída a AGREKKO foram informados que a melhor proposta era a da SoEnergy, entrega garantida em 60 dias, máquinas muito mais novas que as da AGGREKKO e distantes da escola vizinha à central. Desde 2014, a AGREKKO está gerando energia junto a uma escola que tem mais de 400 meninos, com graves impactos ambientais, com poluição sonora, de CO2, de CO, de NOx e vazamentos que envenenam o nível freático das aguas utilizadas pelos vizinhos. Isto é um claro crime ambiental.

2.4. SoEnergy assinou com a Comissão negociadora Processo Verbal em 24 de Maio, 2016.

2.5. SoEnergy assinou contrato com governo no Palácio Presidencial junto com Diretor da EAGB, ministros de energia e ministro de economia em 25 de Maio, 2015, coincidentemente, na mesma data da inauguração da estátua de o granda herói da independência Amílcar Cabral (25 de Maio, ano 2009, dia de África).

2.6. SoEnergy assinou processo verbal com EAGB no dia 10 de Junho, 2016, pelo qual as maquinas deveriam ser embarcadas imediatamente.

2.7. As máquinas chegaram a Bissau em barco urgente e especial (charter) no dia 24 de Junho de 2016.

2.8. O Diretor da EAGB, Eng. Issufo Baldé, foi trocado pelo economista René Barros no dia primeiro de Julho de 2016.

2.9. O novo diretor da EAGB, economista Rene Barros, informou que o contrato assinado não tinha validez por não ter garantia bancaria do governo - do próprio governo!!! - no dia 8 de Julho, 2016.

2.10. A SoEnergy solicitou arbitragem ou respeito pelo contrato no dia 13 de Julho de 2016. Quase diariamente a SoEnergy vem solicitando ajuda aos ministros de Economia e da Energia (que também foram trocados) para liberar os equipamentos e respeitar o novo contrato assinado.

2.11. Tem uma disposição do governo que após 3 meses no porto as maquinas podem ser confiscadas.

2.12. A SoEnergy teve que repatriar as maquinas, hoje, no dia 18 de Setembro, 2016.....no dia 24 de Setembro (data da independência da Guiné –Bissau) as maquinas cumpriam um três meses no porto e o governo teria o direito de as confiscar.

2.13. A SoEnergy vai proceder agora com arbitragem para recuperar os seus custos e o respeito pelo contrato.

2.14. A AGREGO continua gerando energia, sem licitação, com altos custos (anexo o contrato da AGGREKO, que desde já confirmo, eu assino hoje mesmo com preços de 7% abaixo) e envenenando a saúde das crianças de Bissau.

Não é Justo!

SoEnergy

PAIGC - 60 anos


Domingos Simões Pereira, presidente do PAIGC, ladeado por Carlos Correia, 1º vice-presidente do partido e Ali Hijazi, Secretário Nacional envergam o lenço dos pioneiros Abel Djassi

PAIGC completa hoje 60 anos de existência. Parabéns


A festa já começou na sede Nacional

domingo, 18 de setembro de 2016

Para as empresas estrangeiras (mesmo para aquelas que só aparecem em.períodos de crise, aliando—se aos golpistas): Não invistam um só Franco CFA na Guiné-Bissau. Estão a deitar dinheiro numa enorme fogueira que tende a ser maior a cada dia que passa. É um aviso. AAS

24 de Setembro azedo


A Soenergy, empresa que ganhou o concurso Internacional para fornecimento de energia eléctrica à cidade de Bissau, mandou retirar hoje, por via marítima, todo o material que estava no porto de Bissau. O motivo tem a ver com uma lei que diz que passados três meses o Estado tem o direito a confiscar os materiais.

E o prazo é já no dia...24 de setembro. Para já, a empresa declarou 'guerra' à EAGB e ao ministério da Energia. Aguardem pos próximos capítulos — e pelo contrato ruinoso para o Estado da Guiné-Bissau, assinado pelo ex e actual ministro Florentino Mendes Pereira.

Um dos motivos do ministério da Energia, era mesmo este: esperar pelo dia 24...e confiscar tudo!!! Esta aventura vai custar caro à Guiné—Bissau, e não temos dia para ficarmos sem fornecimento de energia...depois não digam que não avisei
AAS

COMITÉ CENTRAL DO PAIGC: "A disciplina partidária é um princípio fundamental", JBV


"A disciplina partidária é um princípio fundamental" disse João Bernardo Vieira, o porta-voz do partido. O comité central do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) apelou à reconciliação e coesão interna naquela força partidária, anunciou o respetivo porta-voz. "O 60.º aniversário do partido é um marco importante para a mudança do partido. Apelou-se à reconciliação e à coesão interna, mas nunca cedendo nos princípios e valores do PAIGC", referiu João Bernardo Vieira. "A disciplina partidária é um princípio fundamental" do partido, acrescentou.



João Bernardo Vieira falava aos jornalistas à saída da reunião do comité central que antecede as celebrações dos 60 anos do partido, que se assinalam amanhã, segunda-feira, dia 19. Apesar de ter vencido as eleições de 2014 com maioria absoluta, o PAIGC perdeu o controlo do parlamento devido à dissidência de 15 deputados que se juntaram à oposição.

O Presidente da República já demitiu dois governos do partido e deu posse em junho a um novo elenco formado pelo segundo partido mais votado (PRS) e por alguns dos 15 - entre os quais o primeiro-ministro, Baciro Djá. No entanto, a turbulência tem impedido o parlamento de funcionar, prolongando uma crise política que levou os países vizinhos a intervirem.

Os presidentes da Guiné-Conacri e Serra Leoa visitaram Bissau no sábado passado, como mediadores da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), e propuseram um acordo que foi assinado por todos os intervenientes políticos - incluindo o PAIGC.

O documento, prevê, entre outras medidas, a criação de um governo de inclusão que funcione e garanta estabilidade até ao fim da legislatura, em 2018. Apesar de o tema ter sido abordado, a participação do PAIGC nesse futuro governo não mereceu qualquer decisão na reunião do comité central, concluiu João Bernardo Vieira. Lusa

Esclarecimento DC


Por lapso, referi que a assinatura do Florentino Mendes Pereira consta do contrato assinado com a empresa que ganhou o concurso para fornecimento de energia eléctrica à cidade de Bissau — a SoEnergy. Para repor a verdade: o ministro era Wasna Papai Danfa, e o chege do governo o Carlos Correia.

Quanto ao resto, não há nenhuma falsificação. Quem quiser, que recorra ao tribunal, e eu provo isso mesmo. O Florentino que entregue o seu a seu dono — e, por favor, retirem a pasta da Energia a este ministro.

Mais. Estou na posse de documentos ainda mais comprometedores. Não perdem por esperar...Ao ministro as minhas desculpas pelo lapso. AAS

PR José Mário Vaz viaja hoje pera Nova Iorque para a Assembleia Geral das Nações Unidas. AAS

sábado, 17 de setembro de 2016

JOMAV...NADA DE TRUQUES!!!


PAIGC - 60 anos: Conferência Internacional, a decorrer no Hotel Azalai/24 de Setembro


24 de Setembro/Socoestradas socorre avenida Amílcar Cabral



Desde a praça do Império até à rotunda da praça de Pindjiguiti, a estrada está a ser beneficiada — 24 de Setembro a quanto obrigas. AAS

HERANÇA: PAIGC em boas mãos




FUNDADOR DO PAIGC E MILITANTE NÚMERO 1, O SAUDOSO E INSIGNE LÍDER REVOLUCIONARIO AMÍLCAR CABRAL, e DOMINGOS SIMÕES PEREIRA, PRESIDENTE DO PAIGC

ENTREVISTA DC - IDRISSA DJALÓ, PRESIDENTE DO PUN, DEMOLIDOR! (2ª feira no Ditadura e Consenso)

ENERGIA: Ministro da área GANHA uma FORTUNA servindo de intermediário, vendendo combustível e óleos da Djalo Petroservice à EAGB. É 'só' por isso que não querem retirar o contrato à perdedora AGREKKO!!! AAS

ENERGIA: Explique—se, sr. director—geral, que os americanos estão à espera...





O embaixador dos EUA para a Guiné-Bissau está ao corrente e...não está a gostar nadica de nada! É um aviso: entreguem o fornecimento de energia à empresa que GANHOU o concurso. AAS

ENERGIA: Afinal, o ministro Florentino Mendes Pereira ASSINOU o contrato que concede à SOENERGY o fornecimento de energia eléctrica à cidade de Bissau...gossi gora i kuma???





LIBERDADE